Quem será o dono do apito?

iG Minas Gerais | Victor Martins |

Eugene Hoshiko/ap - 23.7.2014
undefined

A Fifa vai divulgar neste domingo quem vai ser o responsável por apitar a semifinal entre Brasil e Alemanha, que será disputada no Mineirão, na terça-feira, às 17h. Muito em função do que aconteceu na última partida, contra a Colômbia, a arbitragem se tornou uma grande preocupação para o brasileiro. O Tempo levantou o perfil dos mais fortes candidatos para ser o dono do apito. Ao todo, foram 33 árbitros convocados para o torneio. Alguns nomes já estão descartados, por motivos óbvios, como o brasileiro Sandro Meira Ricci, o argentino Nestor Pitana e o alemão Felix Brych. Dentro do perfil que a Fifa costuma usar para escolher o juiz, cinco nomes despontam como favoritos. O inglês Howard Webb, o português Pedro Proença, o norte-americano Mark Geiger, o chileno Enrique Osses e o argelino Djamel Haimoudi têm experiência em outras grandes partidas e aparecem bem cotados para a função.

Pedro Proença (POR) É apontado como um dos melhores juízes da Europa. Tem finais importantes no currículo, como a Champions League decidida entre Bayern e Chelsea, em 2012, e a Eurocopa do mesmo ano, em que a Espanha bateu a Itália. Neste Mundial, foi alvo de críticas dos mexicanos, por conta do pênalti marcado na disputa entre Rafa Marques e Robben. Jogos e números nesta Copa: Camarões 0 x 4 Croácia: (24 faltas, 1 amarelo e 1 vermelho) Japão 1 x 4 Colômbia: (31 faltas e 2 amarelos) Holanda 2 x 1 México: (22 faltas e 3 amarelos) Total: 78 faltas, 6 amarelos e 1 vermelho

Djamel Haimoudi (ARG) Considerado o melhor árbitro africano, Djamel esteve na Copa das Confederações. Um dos jogos que apitou foi a decisão do terceiro lugar, entre Itália e Uruguai. Marca muitas faltas, mas mostra pouco cartões. Jogos e números nesta Copa: Austrália 2 x 3 Holanda (45 faltas e 2 amarelos) Costa Rica 0 x 0 Inglaterra (38 faltas e 3 amarelos) Bélgica 2 x 1 EUA ( 40 faltas e 2 amarelos) Total: 123 faltas e 7 amarelos

Howard Webb (ING) Juiz da final da última Copa, Webb tem adotado uma postura bem diferente aqui no Brasil. Se no futebol inglês a principal característica é deixar o jogo correr, neste Mundial ele tem abusado das faltas e dos cartões para controlar o jogo. Apitou pouco até agora, já que é um dos favoritos para aparecer nas partidas mais importantes. Jogos e números nesta Copa: Colômbia 2 x 1 Costa do Marfim (30 faltas e 2 amarelos) Brasil 1 x 1 Chile  (56 faltas e 7 amarelos) Total: 86 faltas e 9 amarelos

Enrique Osses (Chile) Até por ser um juiz sul-americano, apita mais falta do que os europeus. Mas é um juiz de pulso firme, acostumado com grandes decisões, inclusive com final de Libertadores e a semifinal da Copa das Confederações do ano passado, entre Brasil e Uruguai. Jogos e números desta Copa: Costa do Marfim 2 x 1 Japão (29 faltas e 4 amarelos) Itália 0 x 1 Costa Rica (48 faltas e 2 amarelos) Total: 77 faltas e 6 amarelos

Mark Geiger (USA) É um juiz que deixa a partida correr um pouco mais e, até por isso, tem uma baixa média de cartões na Copa do Mundo. Na partida entre França e Nigéria, cometeu um grande erro ao não expulsar Matuidi, por conta de entrada violenta no adversário. Jogos e números na Copa: Colômbia 3 x 0 Grécia (37 faltas e 3 amarelos) Espanha 0 x 2 Chile (32 faltas e 3 amarelos) França 2 x 0 Nigéria (32 faltas e 1 amarelo) Total: 101 faltas e 7 amarelos

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave