“Não há outro Amarildo”, diz ele

iG Minas Gerais | Josias Pereira |

Em entrevista para a rádio ESPN, de São Paulo, o personagem da Copa de 1962 não mostrou muita confiança na repetição da história desta vez. Na opinião do ex-jogador, o atacante que poderia ser o substituto de Neymar sequer foi convocado por Luis Felipe Scolari.  

“Sinto muito em dizer que não há outro Amarildo. Naquela época, tinha o Pelé, que era único, todos pensavam que era insubstituível. Mas depois apareceu um tal de 'Posssesso' que demonstrou que não tem ninguém insubstituível. Mas, naquela época, o Brasil tinha um celeiro de craques, e podia montar umas dez seleções, uma quase igual à outra”, avaliou Amarildo, o ex-jogador da seleção, que substituiu Pelé na Copa do Chile. E Amarildo tem razão. Além dele, aquele time bicampeão da Copa do Mundo tinha outros craques como Vavá, Garrincha, Coutinho, Djalma Santos e outros grandes jogadores.

“Hoje, no momento, não temos um jogador como o Neymar. Poderia ter, se tivesse convocado o Robinho, mas ele não foi chamado”, completou Amarildo. Em 1962, Amarildo terminou a competição com três gols marcados: dois na decisiva vitória sobre a Espanha, pela fase de grupos, e um no triunfo por 3 a 1 sobre a Tchecoslováquia, pela grande final da competição.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave