Ficamos chocados com a tragédia, diz hacker que invadiu site da Cowan

Reportagem conversou com integrante do Red Eye, grupo de hackers que decidiu invadir a página da construtora responsável pela obra do viaduto que desabou

iG Minas Gerais | Da Redação |

Frases de revolta são postadas em site oficial da Cowan que foi hackeado
Reprodução
Frases de revolta são postadas em site oficial da Cowan que foi hackeado

Os brasileiros podem se sentir vingados. Ou pelo menos é o que esperam os hackers do grupo Red Eye, responsáveis pela invasão do site oficial da construtora Cowan na manhã deste sábado. A Cowan foi responsável pela construção do viaduto que desabou, na última quinta-feira (3), ainda inacabado, fazendo 25 vítimas, inclusive duas mortes. No site, foram escritas as seguintes frases: “Como é dormir tranquilo sabendo que há diversas outras pontes e viadutos feitos pelo mesmo projeto deste que desabou em Belo Horizonte no qual a Cowan é a responsável ? Quanto vale uma vida para você$$$$?” Também foi publicada uma fotografia da tragédia, feita por repórter do jornal O TEMPO.

A mensagem de protesto podia ser vista até as 10h, quando o site foi retirado do ar. À tarde, a página já estava normalizada.

Nossa reportagem conseguiu conversar, por Skype, com um dos integrantes do Red Eye, que não se identifica. Ele conta as motivações para o protesto virtual e como foi feito. Leia trecho da conversa abaixo:

Levaram quanto tempo para hackear?

Foi coisa de uma hora. A mensagem permaneceu no ar até as 10h (deste sábado).

Vocês chegaram a modificar algo na página, fazer buscas por informações?

Nada foi modificado, somente deixamos uma mensagem de protesto.

Qual foi a motivação da invasão?

Como não somos alienados políticos já tínhamos ouvido falar da construtora Cowan e suas proezas políticas, como a doação de dinheiro para "ONGs políticas". Vimos a notícia do desabamento do viaduto em Belo Horizonte e ficamos chocados, como qualquer pessoa.

Logo após já veio o pensamento de protestar de alguma forma. Acessamos o site da Cowan e fizemos a varredura atrás de brecha para concretizarmos nosso protesto e insatisfação. Como todos os brasileiros, temos certeza que, ao fazer nosso protesto, sem danificar nada, além de uma simples mensagem deixada, se sentiram de certa forma vingados, por alguém conseguir de alguma forma atingir essas empresas politicamente milionárias, que nunca são alvo de nada.

Vocês conhecem alguma das vítimas?

Não conhecemos nenhuma das vítimas, felizmente. Mas é um local público, uma construção de uso da população, poderia ter sido com qualquer um. E o que não desejamos a nós, não desejamos a ninguém.

Colaborou Renato Rocha

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave