Demolição do viaduto na Pedro I pode começar ainda neste sábado

Peritos da Polícia Civil estão realizando perícia no local do acidente, a Defesa Civil também está no local para garantir a segurança na área

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

A demolição do viaduto dos Guarapés que caiu na última quinta-feira (3) na avenida Pedro I pode começar ainda na manhã deste sábado (5). De acordo com informações da assessoria de imprensa da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil da capital, a demolição depende do fim dos trabalhos da perícia da Polícia Civil e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG)  no local.

Na manhã deste sábado, peritos estão no local do desastre fazendo uma avaliação da tragédia. O coordenador da Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas Alves, e técnicos da Defesa Civil também estão na área da tragédia para garantir a segurança.  Nesta sexta-feira (4), os órgãos que fazem as perícias informaram a reportagem de O TEMPO, que os trabalhos poderiam demorar dias e não deviam ficar prontos antes da próxima terça-feira (8), no entanto nesta manhã tanto a assessoria da prefeitura informou que a demolição pode começar ainda nesta manhã. O trânsito no local está interrompido. 

Em entrevista na manhã desta sexta (4), o secretário municipal de Obras, José Lauro Terror, informou que após ser iniciada, a demolição deve durar 24 horas.  A alça que ficou de pé também será demolida. O secretário descartou a implosão e é provável que a demolição seja feita de forma mecânica, sendo que para quebrar toda a estrutura, serão usados equipamentos como o rompedor hidráulico – um trator com uma broca para perfurar rochas e concreto. O valor do procedimento ainda não foi informado.

Vítimas

A tragédia, que ocorreu na última quinta-feira, deixou duas pessoas mortas e outras 23 feridos. Nesta sexta, representantes da prefeitura se reuniram com representantes do governo do Estado para discutir o apoio as vítimas da tragédia.

Por meio de nota, a prefeitura informou que durante todo o tempo que os pacientes ficaram internados, profissionais da prefeitura deram atenção médica direta e apoio psicológico e social. Informaram ainda que o serviço psicossocial do Hospital Odilon Behrens  está visitando as vítimas em suas casas e fazendo um acompanhamento pós alta hospitalar. Segundo a prefeitura o apoio será feito enquanto for necessário. Por meio do SUS também está sendo oferecido medicamentos as vítimas.

No entanto até esta sexta-feira (4) familiares das vítimas fatais reclamavam que não tinham sido amparados pelo poder público. Por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura informou que dará novas informações sobre o ocorrido neste sábado. 

Aguarde mais informações

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave