A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Ixe! Réver está fora da lista dos jogadores que viajam no domingo para a Argentina. Isso é preocupante. Especialmente em razão do seu substituto, Edcarlos, que, todos sabemos, não é lá muito confiável, por costumar dar sustos na gente com umas jogadas estranhas. Mas vamos esperar que ele mostre segurança e nos surpreenda com uma boa atuação. Eu estava crendo que Réver iria com a delegação para a Argentina, afinal, o cara é guerreiro e não curte ficar fora dos jogos, ainda mais sendo uma final. Achei que ele pudesse superar as dores no tornozelo e jogar, mas, se não conseguiu contornar a lesão, é porque a coisa deve ser feia mesmo. Provavelmente Réver não se recuperará a tempo de participar do jogo da volta. Uma pena, pois vai perder a ocasião de levantar mais um caneco. Porque o Galo é assim: caiu no Horto, tá morto, e caiu no Mineirão, é CAMpeão.

A voz Celeste

Meus leitores, vocês são testemunhas de que sempre acreditei no time do Brasil. Mesmo sabendo de todas as limitações, principalmente por ter no banco de reservas um treinador que prioriza o sistema defensivo. Mas Deus é brasileiro! Vencemos a Colômbia por 2 a 1, quando o jogo poderia ter sido mais fácil. Enquanto a Fifa não coibir as entradas violentas, vamos ter os craques saindo de campo por causa de jogadores desleais e com poucos recursos. Na Copa das Copas, a arbitragem precisava ser mais rigorosa. Aquele futebol encantador a que estamos acostumados, o Brasil deixou para apresentar diante do nosso próximo adversário, a Alemanha. Tenho confiança no nosso time e no futebol do Brasil, que faz um craque por mês. O problema é que os dirigentes não sabem explorar. Se tivéssemos treinadores, seriamos campeões de tudo!

Avacoelhada Em jogos-treino contra adversários formados por jogadores sem clube, juniores e amadores, as falhas são mais destacadas que os acertos. Tchô, Mancini, Andrei, Júnior Negão, Lucas Silva e Rubens marcaram gols nesses confrontos. Ricardinho e Diney passaram em branco. Atacante vive de gols e assistências precisas. Nos primeiros jogos da Série B, Ricardinho deu trabalho para as defesas adversárias, quando fez triangulações com Gilson. Mesmo assim, com muitos erros de passes. Diney ainda não teve bom desempenho no Brasileirão. A escalação de três volantes – Leandro Guerreiro, Andrei e Doriva – nos treinamentos deveria ser trocada por um esquema mais ofensivo, com Tchô pelos lados, no lugar de Ricardinho. A vitória mais convincente do América foi sobre o Joinville, quando dois volantes, três meias e um centroavante foram escalados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave