Uma mostra de campeões

iG Minas Gerais | (*) Daniel Oliveira |

Cinefoot: “Dossiê 50”, de Geneton Moraes Neto, traz depoimentos dos jogadores que jogaram na fatídica final de 1950
Cineffot/divulgação
Cinefoot: “Dossiê 50”, de Geneton Moraes Neto, traz depoimentos dos jogadores que jogaram na fatídica final de 1950
Coordenadora de programação do Cinefoot-BH, Daniela Fernandes afirma algo incontestável para 99% dos brasileiros. “Você pode até não gostar de futebol, mas em algum momento da vida ele passou pela sua história, seja com um avô ou um pai”, reflete. Essas memórias afetivas são resgatadas e eternizadas pelos filmes sobre o esporte bretão – e é para reconhecer esse trabalho que o Cinefoot organiza um festival inteiramente dedicado a essa produção.    Depois de realizar sua primeira competitiva em Belo Horizonte no início do mês passado, a mostra volta a partir de deste sábado (5) no Cine Humberto Mauro (confira roteiro nesta página). A itinerância especial Cinefoot Tour, que vai até a próxima segunda-feira (7), traz duas pré-estreias inéditas na capital, além de exibir os filmes mais aclamados pelo público da competitiva e seu grande vencedor, o curta “Quando se Sonha Tão Grande, a Realidade Aprende”. “Os atleticanos vão poder chorar mais um pouco com ele”, brinca Fernandes sobre o filme que narra a vitória do Galo na Libertadores 2013 e é o único bicampeão da história do Cinefoot – tendo recebido os prêmios do público de Minas e do Rio de Janeiro. Ironicamente, “O Dia do Galo”, longa sobre o mesmo tema e um dos maiores sucessos da competitiva mineira, não será exibido porque está prestes a entrar em cartaz nos cinemas.    Mas nem só de memórias tão próximas e recentes se alimenta o Cinefoot. Fernandes destaca a pré-estreia do documentário “João”, sobre o polêmico cronista esportivo e técnico João Saldanha, que venceu o Carioca com o Botafogo em 1957, ou o hilário curta “O Outro Superclássico”. “Ele conta a história de uma cidade do interior do Nordeste que criou dois times chamados Boca Juniors e River Plate. É muito divertido e o público adorou”, descreve.    Fora dos campos   Além de vencedores e produções inéditas, a mostra ainda vai exibir três curtas produzidos no projeto Cinefoot Lab e dar ao público uma nova chance de conferir alguns destaques da edição do ano passado. Entre eles, a coordenadora ressalta o que ela considera um dos melhores filmes sobre futebol que já viu, “Os Rebeldes do Futebol”. Produzido e estrelado pelo craque francês Eric Cantona, o documentário conta a história de jogadores que fizeram a diferença fora das quatro linhas do gramado, influenciando na política e na sociedade de seus países. Entre eles, está o brasileiro Sócrates, uma das personalidades que apoiaram o movimento das Diretas Já no país.  “Eu não conhecia o Drogba antes do filme, mas depois de ver como ele modificou a guerra civil na Costa do Marfim, fiquei fã dele. Me emocionei quando o vi entrar em campo na Copa”, confessa Fernandes. Dos mesmos realizadores, o Cinefoot apresenta a pré-estreia de “Looking for Rio”, em que o mesmo Cantona narra a história dos quatro principais clubes do Rio de Janeiro – Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco.    Com o sucesso da competitiva deste ano, o Cinefoot firma de vez os pés em Belo Horizonte e já tem edição garantida em 2015. Mas a despedida desta edição vai ter um gosto especial. “O fim de semana começa com o frio na barriga hoje, mas aí a gente tem o sábado e domingo inteiro para relaxar e ver filme bom”, brinca Daniela.   * Especial para o Pampulha

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave