Pilastra do meio da estrutura do viaduto afundou 6 metros

Erro na fundação, solo não compatível com projeto ou perda de atrito das estacas são hipóteses aventadas por especialistas para viaduto ter desabado

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Carro está embaixo do viaduto a mais de 12 horas
Lincon Zarbietti O TEMPO
Carro está embaixo do viaduto a mais de 12 horas

Mesmo fora da área de isolamento do acidente, não faltavam olhares perplexos e perguntas sobre o que teria provocado a queda do viaduto Guararapes, na avenida Pedro I, em Venda Nova, na capital. Todos querem causa e culpado por tamanho "absurdo" – palavra repetida por moradores e curiosos no local. Em busca de respostas, peritos da Polícia Civil circularam de um lado para o outro. A principal hipótese de especialistas é de uma falha na fundação, já que a pilastra do meio da estrutura afundou cerca de 6 metros.

Presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (Ibape-MG) – entidade que faz vistoria paralela no local –, Frederico Correia Lima explicou que a pilastra, de 7 metros, era sustentada por dez estacas de concreto de 22 metros – cinco de cada lado –, fincadas no solo. "O motivo do afundamento dessa estrutura pode ser problema na fundação, solo não compatível com o projeto ou perda de atrito das estacas", sugeriu.

Vice-presidente do Ibape-MG, Clemenceau Saliba Júnior disse ainda que não é possível afirmar o que veio primeiro, "a queda do viaduto ou o afundamento". Com base na análise do local do acidente, o instituto vai fazer uma sondagem do solo e cruzar com os dados levantados no projeto.

O mestre em engenharia de transportes Márcio José de Aguiar também acredita que a falha foi construtiva. "Problema no projeto é mais difícil porque ele é elaborado com muito tempo". O especialista ressalta a importância do acompanhamento da intervenção, "principalmente porque o trânsito embaixo do viaduto foi liberado. É preciso consultar, no livro de obra, quem autorizou cada serviço".

Oficial

Já a Polícia Civil não quis dar um parecer sobre as motivações mais prováveis para a queda. "Para chegar à causa do acidente e mensurar nossa estratégia de trabalho, vamos fazer uma análise prévia do projeto e compará-lo com o que foi executado", explicou o diretor do Instituto de Criminalística (IC) de Minas Gerais, Marco Paiva.

Estão envolvidos na investigação 22 peritos da Polícia Civil. Dois peritos da Polícia Federal (PF) acompanharam os trabalhos nesta sexta-feira (4), vistoriando cada parte do viaduto. De acordo com o delegado Hugo Silva, chefe da Delegacia Regional de Venda Nova, os laudos periciais serão concluídos em até 30 dias. Testemunhas e responsáveis pela obra serão ouvidas na próxima semana. (Com Aline Diniz, Jhonny Cazetta e Johnatan Castro)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave