Reportagem de O TEMPO acompanha jogo do Brasil em um bordel

Profissionais do sexo e clientes dividiram atenções entre programas e lances de Brasil e Colômbia

iG Minas Gerais | JORGE MANICHE |

Bandeiras grandes do Brasil ou em formato de triângulo, tão características em festas juninas, grudadas nas paredes ou no teto. Adesivos com a inscrição “Copa do Mundo” espalhados no local. Uma máquina para comprar bebidas. Homens com camisa de times de futebol. Cada um deles com um olho fixado na tela, que exibia a partida entre as seleções brasileira e colombiana, e o outro avistando as belas mulheres presentes. Não, não estamos falando de um bar, um restaurante ou uma casa em festa. O lugar em questão é um prostíbulo.

A reportagem de O TEMPO foi à Rua Guaicurus, no centro de Belo Horizonte, para acompanhar a movimentação numa casa de prostituição, durante a partida desta sexta-feira, em Fortaleza, válida pelas quartas de final. Apenas um estabelecimento da via estava aberto quando o jogo começou. E se engana quem imagina que não há torcida num bordel. Tem sim, tanto de clientes, quanto de funcionárias.

Assim que a bola rolou, muitos ‘consumidores’ voltavam parte das atenções para o jogo, como se estivesse num boteco. “Vai Brasil”, gritavam alguns deles. Outros, davam apenas uma olhadinha na tela, e já se se viraram para as prostitutas que ‘seduziam’ na porta de seus apartamentos.

Após o primeiro gol da seleção brasileira saiu, marcado por Thiago Silva, a tensão de muitos presentes se tornou alívio. Foi também o momento para alguns adentrarem as dependências das mulheres a fim de ‘negócios’.

“Aqui é o melhor lugar que se pode imaginar. Você assiste ao jogo do Brasil, consome uma bebida e ainda dá de cara com um monte de mulher bonita. Olha só que beleza”, destacava um dos homens, que não quis se identificar.

A maioria das prostitutas não dava bola ao confronto da seleção brasileira. Poucas delas, no entanto, assistiam a trechos do confronto, enquanto esperavam a chegada de clientes.

Segundo funcionários, o estabelecimento se enfeitou de verde e amarelo por conta da Copa do Mundo. Turistas estrangeiros já deram as caras no local em outras oportunidades.

O segundo andar da casa estava fechado nesta sexta-feira. Ninguém soube responder o motivo. O gerente do prostíbulo não estava presente na ocasião.

Leia tudo sobre: Copa do Mundozona boemiaprostibulobordeujogobrasilcolombiaprostitutas