Técnico da Costa Rica pressiona árbitro por simulações de Robben

Atacante holandês envolveu-se em polêmica após as oitavas de finais contra o México por assumir que simulou uma falta, fora da área

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

undefined

SALVADOR, BA - O técnico da Costa Rica, Jorge Luis Pinto, disse nesta sexta-feira (4) estar preocupado com as simulações do atacante holandês Arjen Robben para cavar pênaltis. Ele pediu que o árbitro Ravshan Irmatov fique atento e puna o atleta caso tente enganá-lo.

"Temos pavor de que isso aconteça. Peço à Fifa que preste atenção nele. Temos que reconhecer que houve erros importantes de arbitragem. Isso é o que mais me preocupa. Espero que o árbitro não caia nesses erros", disse Pinto, que elevou o tom de voz e agradeceu à pergunta feita por um jornalista costarriquenho.

Robben envolveu-se em polêmica após as oitavas de finais contra o México por assumir que simulou uma falta, fora da área, no primeiro tempo da partida. A Holanda se classificou com um gol de pênalti, marcado sobre o atacante no fim do segundo tempo. Neste caso, ele afirma que foi tocado, mas mexicanos queixaram-se desta jogada também.

O holandês tem histórico em simular pênaltis na Europa, o que sempre lhe motivou críticas. Após um longo período sem polêmicas do tipo, o atacante voltou a ser alvo por cavar as faltas.

Questionado se gostaria de ver Robben punido pelas simulações, Pinto afirmou que sim. "Seria o mais lógico. Acho que isso criaria um impacto mundial, histórico. Poderia ser expulso por cair e tentar cavar faltas", disse o treinador, em coletiva de imprensa na Fonte Nova.

TÁTICA

O técnico disse acreditar que o time adotará o sistema 4-3-3, utilizado no segundo tempo do jogo contra o México, quando precisa virar a partida. Para ele, o sistema também foi estudado.

"A Holanda apresentou uma linha de cinco e depois uma de três homens, mas mudou com o tempo. Poderíamos dizer que ele vão começar no 4-3-3. Mas estamos preparados para todos os esquemas.

Pinto destacou a importância das informações passadas pelo atacante Bryan Ruiz, que jogou os últimos seis meses no time holandês PSV Eindhoven.