Vereadores adiam reunião em que seria pedida CPI e entram em recesso

O vereador Iran Barbosa (PMDB) informou que pediria a criação de uma CPI na reunião desta sexta-feira para apurar possíveis irregularidades nas obras de mobilidade urbana executadas pela Prefeitura de Belo Horizonte; parlamentares só retornam em agosto

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

Equipe de resgate tenta tirar carro esmagado
LINCON ZARBIETTI
Equipe de resgate tenta tirar carro esmagado

No dia seguinte à queda do viaduto na avenida Pedro I, que terminou com dois mortos e 22 feridos, a reunião extraordinária na Câmara Municipal de Belo Horizonte em que seria proposta a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis irregularidades em obras de mobilidade da Prefeitura de Belo Horizonte foi suspensa por falta de quórum. Ao encerrar a sessão, o presidente da mesa declarou aberto o período de recesso dos parlamentares, que só devem retornar ao trabalho em agosto.

Conforme reportagem publicada no portal O TEMPO nessa quinta-feira (3), o vereador Iran Barbosa (PMDB) informou que pediria a criação da CPI nesta sexta-feira (4) e que tinha a expectativa de que os colegas de Legislativo assinassem a solicitação na reunião extraordinária, marcada para as 9h, no Plenário.

Durante a reunião, os vereadores que estiveram presentes lamentaram o acidente com o viaduto e fizeram um minuto de silêncio em respeito às vítimas da tragédia. A sessão foi encerrada por volta das 9h20, após a realização de uma confirmação de quórum. Uma reunião que estava marcada para este sábado (5), também foi cancelada.

Segundo Barbosa, que chegou ao plenário quando a sessão já havia terminado, é praxe que os parlamentares aguardem até as 9h30 para iniciar as reuniões. O vereador considerou o ocorrido como uma manobra contra a CPI que ele está tentando propor.  

Leia tudo sobre: políticavereadorquedaviaduto