Análise inicial indica que houve afundamento de pilar de viaduto

Isso teria acontecido com a retirada das escoras da estrutura, na tarde dessa quinta-feira; peritos da Polícia Civil estão no local

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Perícia para apontar a causa da queda do viaduto, na Pedro I, começou nesta manhã de sexta-feira
Jhonny Cazetta/O Tempo
Perícia para apontar a causa da queda do viaduto, na Pedro I, começou nesta manhã de sexta-feira

Uma análise inicial do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (Ibape-MG) indica que pode ter acontecido um afundamento do pilar principal do viaduto Guararapes, com a retirada das escoras, ainda em construção, na avenida Pedro I, na altura do bairro São João Batista, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte. A estrutura desabou, nessa quinta-feira (3) e atingiu dois caminhões vazios, um Uno preto com o motorista e um ônibus suplementar da linha S70. Duas pessoas morreram e outras 22 ficaram feridas.

“Quando há retirada de escoras, todo peso distribuído entre os pilares e escoras é direcionado ao pilar principal. Nesse momento acreditamos que houve afundamento do pilar principal”, explicou o presidente do Ibape-MG, Frederico Lima.

Ainda, segundo Lima, é necessário a realização de uma análise mais complexa no local para se conhecer a real causa do acidente.

Peritos da Polícia Civil estão no local, assim como engenheiros do instituto. Toda a área do acidente está cercada e parte da avenida Pedro I segue interditada.

A pressa para a finalização da obra pode ter provocado a tragédia. É o que afirma o vice-presidente do Ibape-MG, Clémenceau Saliba. De acordo com ele, a falha em algum ponto na execução da obra é evidente. A “correria” em fazer as intervenções está entre os motivos que o especialista aponta como possível causa para o acidente. No entanto, ele ponderou que ainda não é possível definir as causas da tragédia.

O acidente

O viaduto em construção na avenida Pedro I desabou, na altura do bairro São João Batista, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte, na tarde desta quinta-feira. Até o momento, duas pessoas morreram ou outras 22 ficaram feridas. A queda aconteceu por volta das 15h10.

O viaduto fica próximo ao parque Lagoa do Nado e um Fiat Uno, um outro carro de passeio, um ônibus da linha circular 70 e pelo menos dois caminhões teriam ficado presos sob a estrutura. Além do motorista do Uno, a motorista do ônibus, Hanna Cristina dos Santos, de 24 anos. Ela trabalhava com isso há um ano e o veículo que dirigia era do pai dela.

Hanna deixa uma filha de 5 anos, que estava no ônibus no momento do acidente e também ficou ferida,  assim como a cobradora da linha. Entre os feridos está também um funcionário da prefeitura que trabalhava em cima do viaduto no momento da queda.  

Leia tudo sobre: análise inicialviadutoqueda