Presidenciáveis traçam estratégia e rotas até as urnas

Aécio fará críticas a obras no Nordeste; Dilma focará números

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Com o apito final da Copa do Mundo, os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) irão intensificar as viagens pelo país. Os três fecham nesta semana os roteiros que vão cumprir até se encontrarem com as urnas, em outubro.  

As primeiras passagens de Aécio serão para o Nordeste, em especial Bahia e Ceará – os maiores Estados. Na bagagem, o ataque às obras inacabadas na região. Dilma voa primeiro para São Paulo com balanço das ações do seu governo.

A postura de Aécio, segundo os interlocutores da sua campanha, será mais agressiva. O deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB-BA) diz que a estratégia é explorar as obras atrasadas no Nordeste, como a transposição do rio São Francisco e a rodovia Transnordestina. Aécio pretende apresentar ao público mais ligado a Dilma projetos de infraestrutura voltados para a região.

“Vamos atuar mais onde há uma presença forte do PT em função dos programas de distribuição de renda. Aécio vai reiterar o interesse em manter os projetos e fazer um contraponto ao governo atual mostrando as obras inacabadas”, afirmou.

Em São Paulo, seu segundo foco, o discurso será mais econômico. “Será uma fala voltada para a modernização do Estado, de menos intervencionismo e mais profissionalismo. Será música para os ouvidos dos paulistas”, afirma o deputado federal Marcus Pestana, presidente do PSDB em Minas Gerais. As visitas a Minas, onde as pesquisas apontam vantagem do PSDB, serão pontuais na capital, em Juiz de Fora, em Montes Claros e em Uberlândia.

Já Dilma fará o caminho inverso. A ordem de prioridade é: São Paulo, Minas e Nordeste. Por onde passar, irá levar uma enxurrada de números sobre programas e obras da sua gestão.

A petista irá dividir as agendas com Lula para ampliar a presença do partido na corrida eleitoral. “Eles irão viajar juntos nas cidades maiores, mas irão se dividir para visitar o maior número possível de municípios”, afirmou o deputado federal Miguel Corrêa (PT).

Em Minas, o enfoque será nas obras de mobilidade e no início da duplicação da BR–381. As agendas no Estado serão sempre acompanhadas pelo pré-candidato ao governo de Minas, Fernando Pimentel, e pelo postulante à vaga no Senado, Josué Gomes (PMDB).

Ataque

Escândalos. Dilma não deve usar os escândalos na gestão tucana de São Paulo, pois o risco de ter os próprios problemas explorados é grande. Há um tipo de acordo de cavalheiros entre as siglas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave