Autor de livro que inspirou série não gosta do trono

iG Minas Gerais | Dana Jennings |

Martin afirma que esperava ser famoso e não uma celebridade
COLBY KATZ
Martin afirma que esperava ser famoso e não uma celebridade

NOVA YORK. George R. R. Martin, autor do livro que inspirou “Game of Thrones”, é rápido em dizer que seu papel relacionado à série da HBO é secundário. Ele é coprodutor executivo e escreveu um episódio por temporada. Disse tentar não se afligir com as versões para a televisão. “Mas”, acrescentou, “pequenas mudanças podem levar a grandes mudanças”.

Peguemos o caso do músico Marillion, da temporada número 1. Na HBO, Marillion é mutilado – sua língua é cortada fora – por um capricho do Rei Joffrey e em seguida ele deixa a série. Isso não acontece nos livros, onde ele figura como bode expiatório no assassinato de Lysa Arryn, cometido por Lorde Petyr Baelish (mostrado nesta temporada na HBO). “Isso teve que ser modificado” para a série da TV, disse Martin sobre o assassinato. “Os efeitos-borboleta estão se acumulando”.

Mas e quanto ao seu sonho, sua visão? Teriam sido supridos pela HBO? Ele disse ter ficado satisfeito sobretudo com o figurino, o design dos cenários e os efeitos especiais. Se tivesse se envolvido mais, disse, haveria ajustes. “Não, não, vamos fazer o elmo dessa forma”.

Mas há um elemento crucial que o frustra: a representação do cruel e monumental Trono de Ferro. “O trono da HBO se tornou icônico”, escreveu ele em seu blog. “E com razão. Ele tem um design espetacular, e caiu muito bem na série. Há réplicas e pesos de papel em três tamanhos diferentes. Todo mundo sabe disso. Eu adoro. Tenho todas essas réplicas aqui nas minhas estantes”.

Mas, continuou: “Não é o Trono de Ferro que eu visualizo quando estou trabalhando em ‘Os Ventos de Inverno’. Não é o Trono de Ferro que quero que meus leitores visualizem. A forma como o trono está descrito nos livros... Imenso, elevado, negro e distorcido, com os degraus íngremes de ferro à frente, o assento alto, de onde o rei olha para baixo para ver todos na corte... meu trono é uma besta encurvada iminente na sala do trono, feia e assimétrica... O trono da HBO não é nada disso”.

O sucesso de “Thrones” na TV tornou Martin uma espécie de celebridade. Um homem com a corpulência e a alegria de um hobbit, ele não é o tipo de figura clássica do estrelato da cultura pop. “Tem sido surreal”, disse durante a entrevista. “Você sempre espera pelo sucesso, mas as coisas foram pra um outro nível, o de ser uma celebridade, que é algo fugaz”.

Famoso ou não, Martin ainda é obrigado a se sentar todos os dias e escrever porque milhões de fãs agitados estão esperando, achando que o “Inverno” está chegando – em breve. Ele está escrevendo muito devagar para o gosto de alguns fãs, mas qualidade leva tempo. Quando perguntado sobre seu progresso em “Os Ventos de Inverno”, tudo o que Martin diria, com um suspiro em sua voz, seria “está caminhando”.

Foi o suspiro de um bom sonhador.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave