Crise na Argentina já prejudica o Mercosul

Esperada abertura de negociações não aconteceu ainda

iG Minas Gerais |

A esperada abertura de negociações entre União Europeia e Mercosul entrará na lista de mais um dos assuntos inacabados do bloco sul-americano. A combinação das eleições no Brasil, a troca de comando na Comissão Europeia e uma Argentina em crise tornou a negociação, já difícil para este ano, impossível.

Fontes dos dois lados confirmam que dificilmente haverá avanço este ano. O prazo acertado para troca de ofertas era junho mas, apesar das promessas do Brasil de que o Mercosul teria o que entregar aos europeus, a dura negociação com o governo de Cristina Kirchner impediu uma oferta coesa dos quatro países do bloco – Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina.

A primeira promessa é de que a troca de ofertas ocorreria em janeiro. Um pedido da União Europeia adiou o processo. À época, o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, garantiu que o Mercosul estaria pronto e a falta de data era culpa exclusiva dos europeus.

No entanto, até agora, o bloco não conseguiu fechar sua oferta e o limite de junho chegou e passou sem que fossem acertados os detalhes para negociar com a UE. O bloco tem dificuldades de atingir a inclusão de 90% dos produtos da região na lista dos que poderiam ter suas tarifas liberadas.

Leia tudo sobre: União EuropeiaprejudicaMercosul