Corrida por cervejas e carnes movimenta supermercados

Torcedores que preferem assistir aos jogos da Copa em casa fazem vendas crescerem em junho

iG Minas Gerais | Thaís Pimentel |

Fabiana e Vicente capricharam na compra de carvão e cerveja
Uarlen Valério
Fabiana e Vicente capricharam na compra de carvão e cerveja

Torcedores que preferem assistir aos jogos da Copa do Mundo em casa com os amigos, tomando uma cervejinha e fazendo churrasco são os grandes responsáveis pelo aquecimento do setor supermercadista. A previsão da Associação Mineira de Supermercados (Amis) é que haja um crescimento de 20% nas vendas de carnes, bebidas e salgadinhos durante a competição, em relação ao mesmo período anterior. As lojas Extra Hiper, por exemplo, registraram um aumento de 40% na saída de cerveja desde o início da Copa, em comparação ao mesmo período de 2013.

A gerente de vendas Amanda Dutra, que nessa quinta fazia compras com a mãe em um supermercado de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, encheu o carrinho para acompanhar a seleção brasileira, que joga nesta sexta contra a Colômbia.

“Vou fazer churrasco e feijoada. A festa vai ser em dobro porque ainda tem o aniversário de 10 anos do meu filho, né”, conta animada. “Vou aproveitar e reunir a família e os amigos lá em casa. Todo mundo de verde-amarelo. Vai ter muito selfie”, descreve.

A também gerente de vendas Fabiane Rigamonte e o marido, o consultor Vicente de Freitas, compraram carvão e bastante cerveja. “A gente sempre vem ao supermercado antes dos jogos do Brasil. Vamos receber, pelo menos, dez pessoas lá em casa. Estamos confiando bastante na equipe do Felipão”, torce. “Assistimos sempre na casa dos amigos, mas agora é a nossa vez”, disse Vicente.

Promoções. A analista de administração Carolina de Oliveira Souza ainda estava em dúvida se comprava cerveja. “Fiquei sabendo que deve ter promoção horas antes do jogo. Acho que vou deixar para comprar nesta sexta-feira mesmo”, conta ela, que nessa quinta preferiu encher o carrinho com refrigerantes e sucos.

Em uma unidade do supermercado BH, em Contagem, o latão de Brahma estava custando R$ 2,18. Mas hoje, o preço já caiu para R$ 2,03 por causa de ofertas dos fabricantes. “Essas promoções acontecem sempre antes e nos dias de jogos do Brasil. O movimento aumentou bastante nesse período de Copa. Posso te falar que teve crescimento de 50% nas vendas de cerveja, refrigerante e carne para churrasco. Tem gente que leva seis, oito até 12 fardos para casa. Estou ficando louco”, brinca o gerente Wesley Fabio. Além do corte nos preços, os fabricantes de cerveja costumam aumentar o desconto para quem faz parte de programas de sócio-torcedor.

Balanço geral é ruim. Apesar da expectativa de, pelo menos, 20% de aumento nas vendas nos supermercados neste período de Copa, o crescimento do setor não deve passar de 1% em julho, em relação ao mês anterior.

“Vai ficar praticamente estável. Bebida e carne não são capazes de melhorar o cenário de estagnação. Além disso, tem as férias escolares que acabam esvaziando as lojas”, lamenta o superintendente da Amis, Adilson Rodrigues.

Jogos esvaziam oficina mecânica Enquanto a Copa faz as vendas dispararem para uns, para outros só atrapalha os negócios. Desde que o Mundial começou, enquanto os brasileiros assistem aos jogos, o dono da oficina Auto Supensão, Sérgio Marcos Melo, vê o movimento despencar. “Por dia entram, em média, 25 carros para serviços rápidos. Com a Copa, no máximo, dez. E, em dia de jogo, nenhum”, conta o empresário. Para dar uma agitada, Melo vai tentar atrair os consumidores pelo preço. “Mandei fazer uma faixa e vou anunciar o alinhamento de R$ 40 por R$ 20, para ver se chama mais gente”, afirma. Enquanto ele dava entrevista, os dois funcionários, sem ter serviço, assistiam à televisão da oficina. “Está todo mundo reclamando da queda no movimento”, ressalta.

Leia tudo sobre: cervejacarnescorridamovimenta