Brasil quer manter escrita de chegar à final após vencer nas quartas

No novo formato da Copa do Mundo, com 32 seleções, todas as vezes que passou da atual fase, equipe confirmou presença na decisão

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Neymar já usou cabelo e barba combinado com a camisa amarelinha da seleção
Divulgação
Neymar já usou cabelo e barba combinado com a camisa amarelinha da seleção

Fortaleza (CE). A Arena Castelão, em Fortaleza, promete ferver assim que o ponteiro marcar 17h desta sexta-feira. Brasil e Colômbia entrarão em campo brigando por uma vaga na semifinal da Copa do Mundo, em um estádio que certamente estará colorido de amarelo, cor que predomina dos dois lados. O forte calor da cidade já não será o mesmo em virtude do horário, mas mesmo assim a previsão é de jogo quente e intensas disputas a cada jogada.

Por mais que nenhuma história entre em campo, não custa se apegar a ela para ter mais um motivo de confiança na equipe de Felipão. No novo formato da Copa do Mundo, com 32 seleções, em todas as vezes em que passou das quartas de final, o Brasil chegou à decisão.  O retrospecto faz deste momento um divIsor de águas para o time verde-amarelo. Se a história for mantida, a semifinal servirá apenas como confirmar a presença do país em mais uma final do maior torneio do planeta.

Caso passe pela Colômbia, o adversário do Brasil sairá do confronto entre França e Alemanha.

É com essa intenção que o Brasil entra em campo, querendo apagar da memória dos torcedores as duas últimas eliminações, que aconteceram de forma consecutiva justamente na fase de quartas de final. Depois de cair, em 2006, para a França, o Mundial seguinte reservou queda para a Holanda.  “"Continuamos otimistas e com uma mão na taça. Estamos no quinto passo de sete necessários. O discurso, neste momento, não pode ser diferente. Temos que mostrar para o torcedor o que ele quer e o objetivo a ser alcançado. O nosso discurso lá de trás permanece", garante Felipão.

Momentos distintos

Apesar da diferença na forma como as duas equipes chegam, o favoritismo aparece para o lado brasileiro, que joga em casa. O choro após a vitória na disputa de pênaltis contra o Chile e a conversa de Felipão com jornalistas, a procura de alguma luz, deixou evidente a pressão que o Brasil carrega neste Mundial.

As cenas vistas no último domingo contrastam com a alegria dos colombianos dentro de campo e a cada gol marcado. Mas tudo parece ser tratado com naturalidade pelos jogadores, que mostram estar prontos para mais uma batalha. “Cada vez que o Brasil joga é assim, temos que saber lidar com isso”, admite o volante Fernandinho, que ganhou posição de titular somente no último jogo. Ele deve ser deslocado para fazer a função de primeiro homem de meio de campo, ao lado de Paulinho, uma vez que Luiz Gustavo está suspenso. Neymar, com dores na coxa e no joelho, foi poupado de treinamentos, mas tem presença garantida. Ficha técnica

Brasil: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernandinho, Paulinho (Ramires) e Oscar; Neymar, Fred e Hulk.  Técnico: Luiz Felipe Scolari

Colômbia:  Ospina, Zuniga, Zapata, Yepes e Armero; Sanchez, Aguilar, Cuadrado e James Rodriguez; Martinez e Gutierrez Técnico: José Pekerman Motivo: quartas de final da Copa do Mundo

Local: Arena Castelão, em Fortaleza

Horário: 17h

Árbitro:  Carlos Velasco Carballo (ESP)