Após audiência, MTST promete sair da Copa do Povo em 45 dias

Acordo foi feito mediante o compromisso da dona do terreno em vender o local em 30 dias e das três esferas governamentais transformarem o local em moradia popular

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em uma audiência de conciliação nesta quinta-feira (3) feita pela 3ª Vara Cível de Itaquera, o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) firmou acordo em que se compromete a deixar voluntariamente o terreno conhecido como Copa do Povo, em Itaquera, São Paulo.

O acordo foi feito mediante o compromisso da dona do terreno em vender o local em 30 dias e das três esferas governamentais transformarem o local em moradia popular. Até lá, as partes envolvidas e representantes das três esferas governamentais negociarão o valor a ser pago pelo local.

Segundo Guilherme Boulos, coordenador do MTST, a área será destinada à moradia popular inserida no programa Minha Casa Minha Vida. "O passo é visto como uma grande conquista pelo movimento", disse.

As audiências de conciliação foram feitas com a participação direta das partes envolvidas. No entanto, por se tratar de um acordo na esfera civil, o acerto não influencia outro processo já existente da empresa dona do terreno pedindo a reintegração de posse do terreno.

Pressão

Desde que invadiram o terreno próximo ao Itaquerão, na zona leste, os líderes do MTST vinham pressionando a transformação do terreno em área para habitação popular. Os sem-teto tentaram fazer com que os vereadores de São Paulo incluíssem o terreno como moradia popular dentro do projeto do Plano Diretor, que aprovado na última segunda-feira (30).

Os vereadores não incluíram o tema no plano, mas fizeram uma emenda em um projeto do vereador Police Neto sobre moradia popular.

A emenda abriu espaço para que o terreno de Itaquera possa ter casas construídas por meio do Minha Casa Minha Vida e outros programas. Pela modalidade "entidades" do programa federal, o próprio MTST pode construir as habitações.

Leia tudo sobre: São Paulo MTST