Felipão revela que terá nova conversa com jornalistas

Treinador informa que segundo encontro, desta vez com alguns membros femininos da mídia, deve acontecer após jogo contra a Colômbia

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Brazil's coach Luiz Felipe Scolari gives instructions to his players during a friendly soccer match against Panama at the Serra Dourada stadium in Goiania, Brazil, Tuesday, June 3, 2014.  Brazil is preparing for the World Cup soccer tournament that starts on 12 June. Brazil won the match 4-0. (AP Photo/Andre Penner)
AP
Brazil's coach Luiz Felipe Scolari gives instructions to his players during a friendly soccer match against Panama at the Serra Dourada stadium in Goiania, Brazil, Tuesday, June 3, 2014. Brazil is preparing for the World Cup soccer tournament that starts on 12 June. Brazil won the match 4-0. (AP Photo/Andre Penner)

Fortaleza (CE). Após a comentada conversa que teve com alguns jornalistas de sua preferência, o técnico da seleção brasileira, Felipão, voltou a ser perguntado sobre o assunto na última coletiva antes do jogo contra a Colômbia, nesta quinta-feira. Os dois times se enfrentam nesta sexta-feira, às 17h, na Arena Castelão, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Depois de deixar claro que convidou quem tinha sua empatia, o treinador garantiu que um novo encontro está próximo de se repetir. “As nossas amigas da mídia espanhola, a Cristina, a Kiomi, do Japão, já estão convidadas para essa segunda conversa. Será legal ter uma perspectiva feminina. Gostei muito da primeira. Foi um debate amplo, que teve até a bomba atômica como um dos tópicos. Fiz isso na Copa de 2002 também. Se não puder, vai ser um problema. Quem não gostar, vai pro inferno”, sugeriu Felipão.

O comandante garantiu que, no primeiro encontro, escutou a todos e tentou aproveitar o que achou que era válido, sem exageros. “Nomes nem foram citados, até porque isso quem decide sou eu. Pude raciocinar sobre algumas coisas, principalmente sobre o quadro que temos hoje, com times fechados e ninguém jogando com tranquilidade. A realidade de hoje é de poucos espaços, o que dificulta muito qualquer ação ofensiva”, destacou Felipão.