"Ninguém vai morrer se formos desclassificados", afirma Felipão

Técnico sabe que tudo pode acontecer, principalmente em se tratando de um jogo eliminatório, como o desta sexta contra a Colômbia

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Felipão:
Alexandre Loureiro/Vipcomm
Felipão: "acabou a moleza"

Fortaleza (CE). Ao contrário da Colômbia, que possui um dos melhores ataques da competição e ainda por cima venceu todos os jogos neste Mundial, o Brasil soma apenas duas vitórias em quatro anos e mostra que ainda não engrenou na competição. A ideia é evoluir e evitar o sofrimento que teve no Mineirão pela fase oitavas de final.  Os dois times se enfrentam nesta sexta-feira, às 17h, na Arena Castelão, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo. “Estamos acostumados a jogar com a bola no chão e não conseguimos fazer isso contra o Chile. Isso acabou gerando uma tensão durante o jogo. Precisamos ter posse de bola e atacar de forma organizada”, recorda o meio-campo. Chegando de uma atuação com mais esforço do que brilho, os brasileiros sabem que será preciso entrar com a ‘faca entre os dentes’ para não dar chances ao adversário. 

“Os jogadores sabem do peso que um jogo como este possui. Se perder, estamos fora. Mas se perdermos, a vida não acaba, ninguém vai morrer por causa disso”, salienta Felipão Pra cima dos anfitriões

Pelo lado colombiano, pouca pressão, mas a responsabilidade de manter o futebol envolvente apresentado até aqui. O ataque é um dos melhores da Copa com 11 gols marcados, assim como a defesa, com apenas dois sofridos. A cada gol marcado, o time comemora com uma alegria que é apenas o reflexo do que se vê em campo. A seleção caribenha chegou mais cedo em Fortaleza para se acostumar com o calor, vem impressionando pela categoria, comandado pelo meio-campo James Rodriguez, um legítimo 10, tão raro no futebol de hoje. A alegria e a desenvoltura após cada gol mostra uma equipe leve, solta e sem muito a perder. Mas isso promete não esmorecer os caribenhos, que já sabem que marcaram presença na história do país. Esta é a primeira vez que a Colômbia chega nesta fase do Mundial, algo impensado para muitos quando a Copa começou.