Paes inaugura canteiro de obras e fala em 'Olimpíadas das Olimpíadas'

Espaço abrigará o Parque Radical de Deodoro, que receberá as provas de BMX e canoagem slalom

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes
Tomaz Silva/ABr
Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes

Após o Comitê Olímpico Internacional ter manifestado preocupação em relação ao andamento de obras para as Olimpíadas de 2016, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, inaugurou nesta quinta-feira (3) um canteiro de obras que até os Jogos abrigará o chamado Parque Radical de Deodoro, na zona oeste, onde serão disputadas as provas de BMX e canoagem slalom.

O parque ficará dentro do Parque Olímpico de Deodoro, área de 2 milhões de metros quadrados do Exército que já abriga, desde o Pan de 2007, as instalações de hipismo, tiro esportivo, a piscina do pentatlo moderno e o campo de hóquei sobre grama. Essas instalações, segundo a Prefeitura do Rio, precisaram passar apenas por pequenos ajustes.

Em maio passado, um diretor do COI afirmou que as obras do Parque Olímpico de Deodoro estariam com obras atrasadas em dois anos.

No parque serão disputadas 11 modalidades olímpicas e quatro paraolímpicas. Ainda segundo a Prefeitura do Rio, 60% das arenas esportivas permanentes do parque já estão concluídas.

O centro ganhará mais três instalações permanentes - a chamada Arena Deodoro, onde serão disputados o basquete feminino e a esgrima; a pista de BMX; e o local de prova para a canoagem slalom, que inclui um rio artificial com correnteza formada pelo trabalho de bombas de água.

Essas instalações, segundo Paes, ficarão como legado para a cidade, já que o Parque Radical de Deodoro será aberto à população depois dos Jogos como área de lazer.

O local terá ainda três outras instalações, essas provisórias: a pista de mountain bike, a arena de rúgbi e o restante do equipamento para pentatlo moderno.

A prefeitura, por meio da EOM (Empresa Olímpica Municipal) e da RioUrbe, tocará as obras, cujo prazo de conclusão é o primeiro semestre de 2016.

O investimento, contudo, será do Governo Federal, que gastará cerca de R$ 800,8 milhões nas instalações em Deodoro.

Sobre um pequeno palco montado em um terreno de terra batida e cascalho cercado por vegetação alta, Paes, o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, e o presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e do Comitê Organizador Local, Carlos Arthur Nuzman, inauguraram as obras que na prática só começarão em agosto. As autoridades subiram em um trator que estava posicionado no local e posaram para fotos.

Paes assegurou que as obras não estariam atrasadas e que elas estariam ainda sendo iniciadas dois meses antes do previsto.

Paes aproveitou o slogan federal para o Mundial - que diz que o torneio é a "Copa das copas"- para adiantar que os Jogos Olímpicos no Rio serão as "Olimpíadas das Olimpíadas".

"Estivemos um pouco atrasados no início, mas recuperamos esse atraso e vamos dar início às obras dois meses antes do que o previsto. O prazo é mais do que possível e viável para os jogos (...) Serão as Olimpíadas das Olimpíadas", disse Paes.

De acordo com o prefeito, não será possível decretar feriado todos os dias durante os Jogos no Rio, a exemplo do que ocorre durante a Copa. Diferentemente do Mundial, em que há jogos espaçados e divididos por 12 sedes, na Olimpíada haverá disputa todos os dias na cidade. Segundo Paes, a prefeitura já está trabalhando no esquema de trânsito para a competição.

Leia tudo sobre: Eduardo PaesOlimpíadasRio 2016jogosobrasRio de JaneiroprefeitoJogos Olímpicos