Deputado que ofendeu Xuxa em sessão retorna à Comissão de Justiça

Pastor Eurico (PSB-PE) havia sido excluído da bancada pelo próprio partido, depois de afirmar que a presença da apresentadora era 'um desrespeito às famílias do Brasil'

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Pastor Eurico diz que não se trata de nenhum tipo de discriminação
Lucio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados
Pastor Eurico diz que não se trata de nenhum tipo de discriminação

O deputado Pastor Eurico (PSB-PE) retomou, na tarde de quarta-feira (3), sua vaga na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara. O político havia sido excluído da função em maio, quando ofendeu a apresentadora Xuxa durante a votação da polêmica Lei da Palmada. 

A assessoria do deputado chegou a publicar uma nota em sua página oficial, afirmando que a volta de Pastor Eurico à comissão serve para "corrigir uma injustiça, visto que na qualidade de parlamentar o mesmo não pode ter o seu direito de expressão impedido". 

Relembre o caso

Quando Xuxa chegou para acompanhar a sessão de votação, ao lado da ministra dos Diretos Humanos, Ideli Salvatti, o clima tenso na reunião já havia provocado interrupção dos trabalhos. Quando evangélicos cobravam o presidente em exercício, Luiz Couto (PT-PE), a encerrar a sessão, o deputado Pastor Eurico hostilizou a apresentadora e disse que sua presença era "um desrespeito às famílias do Brasil".

"A conhecida Rainha dos Baixinhos, que no ano de 82 provocou a maior violência contra as crianças", disse, referindo-se ao filme "Amor Estranho Amor", daquele ano, em que Xuxa aparece numa cena de sexo com um adolescente de 12 anos.

Veja, na íntegra, a nota feita pela assessoria de Pastor Eurico

"Após ser excluído da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania por causa de seu posicionamento contrário a apresentadora Xuxa na votação da badalada “ Lei da Palmada”, o Deputado PASTOR EURICO foi reconduzido novamente a titularidade na comissão.

Para o Deputado PASTOR EURICO o seu retorno a CCJC vem corrigir uma injustiça, visto que na qualidade de parlamentar o mesmo não pode ter o seu direito de expressão impedido.

O PASTOR EURICO considera a decisão uma vitória e ao mesmo tempo um ato de democracia, pelo reconhecimento de seu direito de divergir de projetos que considere de cunho nocivo à família nos seus direitos de criar e educar os filhos.

O Deputado disse ser grato a Deus pela prova de sua fidelidade e justiça e ao mesmo tempo a todos os evangélicos e não evangélicos que demonstraram carinho, solidariedade e respeito para com seu posicionamento em defesa da moral e da família.

Quanto ao líder de seu partido na Câmara Deputado Beto Albuquerque, o PASTOR EURICO disse que a prova de que tudo foi resolvido entre ambos é que o próprio assinou seu retorno à comissão e que os dois estão em paz."

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave