Revista ‘Nature’ publica retratação de pesquisa japonesa com células Stap

iG Minas Gerais |

Haruko Obokata apresentou estudo em janeiro
AP
Haruko Obokata apresentou estudo em janeiro

Londres, Reino Unido. A revista “Nature” publicou ontem em seu site duas retratações feitas por cientistas japoneses a respeito de erros encontrados em pesquisas com células pluripotentes denominadas Stap.

Anunciado em janeiro por pesquisadores do Centro de Biologia do Desenvolvimento Riken, o estudo, conduzido por Haruko Obokata, causou alvoroço no meio científico ao apresentar um método simples para transformar células maduras em células Stap, sigla que significa aquisição de pluripotência desencadeada por estímulo.

Essas células têm características parecidas com as células-tronco embrionárias, que têm aplicações terapêuticas intensamente estudadas atualmente, pois podem auxiliar na recuperação de danos causados por um ataque cardíaco, por exemplo.

No entanto, meses depois, erros foram descobertos, e as investigações foram abertas. Os estudos, publicados na própria “Nature”, foram retirados e apresentados como um novo trabalho. O grupo envolvido na investigação científica não conseguiu reproduzir as células-tronco em seus próprios laboratórios.

Mais tarde, o Centro Riken concluiu que a Dra. Obokata havia produzido seu trabalho de forma intencionalmente enganosa. Ela foi acusada de fraude e ameaçada com punições.

“Ao misturar imagens procedentes de experiências diferentes e utilizar dados anteriores, a professora Obokata atuou de uma forma que não pode ser tolerada”, afirmou o comitê de investigação de seu trabalho, depois de detalhar os problemas detectados nos resultados da pesquisa da cientista de 30 anos.

O procedimento forçou a equipe editorial da revista a rever seus métodos de revisão de artigos que serão publicados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave