Avacoelhada

iG Minas Gerais |

Fernanda Maia, do Azul Guerreiras, tuitou: “O Cruzeiro contratou o zagueiro Bernardo Vilar, 16 anos, do América MG, para o time juvenil.” Americanos informaram que Higor, atacante do sub-17, também foi para o time azul. As postagens provocaram antigos questionamentos. Os atletas em formação foram liberados ou negociados pela diretoria americana ou simplesmente saíram sem autorização? Existe acordo entre América, Atlético e Cruzeiro para um não contratar o prata da casa que esteja nos planos do clube de origem? André Figueiredo, gerente da base do Atético, faz parte da comissão de ética da CBF para evitar esse tipo de transação? No ano passado, Tabata, Filipinho e Gustavo também saíram e foram para o Atlético. Bombeta saiu e voltou. Sem planejamento de aproveitamento no profissional, vale o risco de continuar na base americana? A voz da Massa Saudações alvinegras! Levir Culpi comentou que espera de R10 uma melhora na parte física. Imagino que seja para que o craque ajude mais na marcação e na recomposição rápida do meio-campo, assim como temos visto muitos armadores fazerem nesta Copa. Mas não adianta esperar isso dele porque isso ele já não faz mais. Ronaldinho pode e deve melhorar o seu desempenho geral, mas querer que ele corra oito, dez quilômetros por jogo, como no auge da sua carreira, é querer demais. O muito que podemos esperar é que ele faça sombra na marcação ao adversário, e só. Contudo, eu não vejo no Brasil, e nem mesmo vi nesta Copa do Mundo, jogador que tenha habilidade e visão de jogo como as que R10 ainda conserva. Exatamente o que está faltando à nossa seleção. Aquela capacidade do jogador de ler o campo e construir as jogadas. E isso o passar do tempo não tirou de R10.  A voz Celeste Estão querendo crucificar o Fred. O Jô entrou em seu lugar e não conseguiu fazer nada também. O erro está na criação das jogadas. A bola não chega ao ataque. O Brasil é o único time na Copa do Mundo que vive de ligação direta sem a bola passar pelo meio-campo. Espero que melhore muito para o jogo contra a Colômbia. Tenho certeza de que nenhuma seleção enfrenta o Brasil de peito aberto, mesmo sabendo que o time do Felipão não vem fazendo boas apresentações. A afirmação de que os outros países tremem é dura, mas que sentem, sentem. Nas oitavas de final não teve tantos gols, porque as seleções jogam com uma tendência mais defensiva, sabem que se errarem dão adeus à competição. A boa notícia foi a presença de Neymar no treino de ontem. Na entrevista coletiva ele confirmou presença no jogo de amanhã. Continuo afirmando que os nossos treinadores estão bem abaixo do nível dos outros. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave