Pekerman mantém mistério e fecha treino da Colômbia em Fortaleza

iG Minas Gerais | Folha Press |

undefined

No primeiro treino na cidade de Fortaleza, na tarde desta quarta-feira (2), o treinador argentino José Pekerman manteve o mistério sobre os titulares da equipe da Colômbia para o jogo contra o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo.

O treino, realizado em uma universidade da capital cearense, foi fechado para a imprensa desde o início, às 16h30. Seguranças foram orientados para retirar os jornalistas que se aproximaram do campo. Nem os tradicionais 15 minutos para as imagens de televisão, com os jogadores aquecendo antes de iniciar as atividades, foram concedidos.

Na sexta-feira (4), às 17h, a Colômbia enfrentará a seleção brasileira no estádio do Castelão por uma vaga nas semifinais. É a primeira vez que a Colômbia chega entre os oito melhores times em cinco participações em Mundiais.

Desde que ficou definido o confronto das quartas, Pekerman tem "escalado" o mistério como elemento principal na preparação do seu plantel. Na última terça (1º), antes de embarcar para Fortaleza, o último treino da seleção colombiana em São Paulo também foi fechado para a imprensa.

Para as entrevistas coletivas, obrigatórias pelo protocolo da Fifa, foram escolhidos dois jogadores sem ascendência sobre o grupo: o terceiro goleiro Vargas e o zagueiro reserva Carlos Valdés. Ambos adotaram um discurso de respeito à seleção pentacampeã mundial.

Na quinta (3), véspera da partida decisiva contra o Brasil, os colombianos voltarão a treinar no mesmo local e horário desta quarta (2) (para simular as condições climáticas do horário do jogo).

A delegação optou por antecipar a vinda até Fortaleza para que os jogadores se adaptassem às altas temperaturas da cidade -para o dia do jogo está prevista máxima de 29 graus Celsius.

Até aqui, a Colômbia tem 100% de aproveitamento nos quatro jogos que disputou. Possui também o artilheiro da competição, James Rodríguez (com cinco gols), eleito o segundo melhor jogador do torneio pela Fifa. Em quatro jogos a defesa colombiana levou apenas dois gols, enquanto o ataque anotou 11.

Leia tudo sobre: Pekermanseleção colombianamistériotreinoFortaleza