Mulher de publicitário pode ter planejado crime contra zelador

Segundo o delegado titular da 4° Seccional (Norte), Ismael Lopes Rodrigues Junior, as investigações da Polícia Civil caminham para que a advogada Ieda Cristina Martins seja a mentora

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A mulher do publicitário Eduardo Martins, acusado de matar e esquartejar o corpo do zelador Jezi Lopes de Souza, na zona norte de São Paulo, pode ter planejado o crime, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (2) pela Polícia Civil. Segundo o delegado titular da 4° Seccional (Norte), Ismael Lopes Rodrigues Junior, as investigações da Polícia Civil caminham para que a advogada Ieda Cristina Martins, em última análise, seja considerada mentora do crime.

"Três semanas antes da morte do zelador, Ieda procurou uma pessoa, que será mantida em sigilo, para que assumisse a função de zelador do prédio. Isso caracteriza uma premeditação. Ela não era síndica, não tinha nenhuma atribuição de contratar ou demitir ninguém", explicou. A Polícia Civil também divulgou nesta quarta-feira, 2, que a arma e o silenciador encontrados na casa do casal foram utilizados na morte do empresário José Jair Farias, ex-marido de Ieda, em 2005, no Rio.

Rodrigues Júnior disse ainda que o casal deve ser indiciado por homicídio triplamente qualificado, fraude processual, ocultação de cadáver e posse compartilhada de arma de uso restrito (silenciador). "Faltam alguns laudos que devem chegar nos próximos 10 dias para que a gente conclua o inquérito", explicou o delegado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave