Jornal britânico repercute falta de torcedores negros nos estádios

O texto, escrito pelo brasileiro Felipe Araujo, questiona a ausência de torcedores da raça que compõe 60% da população brasileira

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Brasileiros acordaram cedo para chegar ao Mineirão o quanto antes
WEBREPÓRTER/ FERNANDO ALMEIDA
Brasileiros acordaram cedo para chegar ao Mineirão o quanto antes

Apesar do sucesso incontestável da Copa do Mundo no Brasil, alguns aspectos relevantes e reveladores sobre o país começam a aparecer em jornais de todo o mundo. Desta vez, foi o inglês 'The Guardian' que publicou, nesta quarta-feira (2), uma coluna sobre a ausência de negros nos estádios durante os jogos da competição.

O texto, escrito pelo brasileiro Felipe Araujo, questiona a ausência de torcedores da raça que compõe 60% da população brasileira. "Salvador é a capital com maior número de negros e afrodescendentes do país e, mesmo assim, durante a partida entre Alemanha e Portugal, me senti no Kansas", diz um trecho. 

Felipe ainda afirma que, durante as partidas, realiza pequenos jogos mentais onde 'procura por negros nas arquibancadas'. "Eu cheguei até a perder alguns gols enquanto encarava a torcida".

Apesar de fazer o questionamento durante o texto, o próprio Felipe cita o que, segundo ele, pode ser a resposta. "Diferentemente da África do Sul ou dos Estados Unidos, aqui não há uma classe média negra - e nem uma classe política de negros. A maioria dos negros, no Brasil, é pobre, e os ingressos para a Copa são, para a maioria, inalcançáveis".

O jornalista cita também comentários de jogadores de futebol sobre o tema, como Neymar, que, em 2010, afirmou nunca ter sido vítima de racismo porque, segundo ele, não ser negro. Pelé, de acordo com Felipe, sempre esteve "ocupado demais com propagandas para dar qualquer tipo de comentário sobre o tema".

A matéria, até o final da tarde desta quarta (2), já possui mais de 340 comentários debatendo sobre a questão. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave