Valcke se espanta com consumo de bebidas e pensa em reforçar segurança

Secretário-geral da Fifa teme que a violência aumente com o recorrência de torcedores alcoolizados; plano é deslocar stewards

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Valcke disse que seus pensamentos estão com as famílias das vítimas
STEFFEN SCHMIDT/ASSOCIATED PRESS
Valcke disse que seus pensamentos estão com as famílias das vítimas

Preocupado – e impressionado – com o alto consumo de bebida alcoólica nos estádios durante os jogos da Copa do Mundo, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, cogita a possibilidade de reforçar a segurança nos palcos das partidas.

Para ele, os torcedores sob efeito do álcool ficam inclinados à agirem de forma violenta e, portanto, pensa em remanejar stewards (que trabalham na segurança interna nos jogos) que atuaram nos estádios que não terão mais jogos, para aqueles que ainda serão sedes dos confrontos decisivos da Copa.

“Aumentamos a segurança dentro do estádio. Podemos deslocar stewards de outros estádios para os remanescentes (estádios). Fiquei impressionado com a quantidade de álcool que as pessoas beberam durante os jogos. Me surpreendeu o nível de álcool, muitas pessoas estavam bêbadas, o que pode aumentar o nível de violência. A gente nunca vai colocar em risco a organização do jogo. Se nós acharmos que precisamos controlar, vamos controlar. Foi um pedido da Fifa poder vender cerveja no estádio. É o que fizemos em todas as Copas do passado. Estamos confiantes que a venda de cerveja é parte do jogo, é algo que acontece em todos os países, mas temos que ver. Fiquei preocupado com o nível de embriaguez, pessoas que não estavam se comportando bem, embriagadas”, disse, em entrevista ao canal SporTv.

Além do motivo alegado por Valcke, sobre o excesso de consumo de bebidas alcoolicas, o incidente com os torcedores chilenos, que invadiram o Maracanã sem ingressos, no dia do jogo entre Espanha e Chile.

Leia tudo sobre: Copa do Mundofutebolvalckefifasegurançaalcoolbebidaestadios