Vapt vupt

iG Minas Gerais |

Na coluna anterior, escrevi que a seleção brasileira poderia melhorar com três no meio-campo e três mais adiantados (Fred, Neymar e Hulk). Fernandinho seria o volante mais recuado, com um armador de cada lado, com funções defensivas e ofensivas, como atuam Pogba e Matuidi, pela França, Kroos e Schweinsteiger, na seleção da Alemanha. Como Hulk e Neymar são artilheiros, agressivos, o Brasil não precisa de um centroavante tático, apenas finalizador. Os dois poderiam atuar livres, mais próximos ao gol, auxiliados por um meia ofensivo (Oscar ou Willian). A história se repete. Não sei se o fim será o mesmo. Na Copa de 2002, o time também não tinha meio-campo. Jogava com três zagueiros, dois alas encostados às laterais, um meia ofensivo (Juninho Paulista), três na frente (Ronaldo, Ronaldinho e Rivaldo) e apenas Gilberto Silva no meio-campo. Na segunda fase, Felipão aceitou as críticas e trocou Juninho por um volante-armador (Kléberson). O time cresceu. Parece que Felipão gosta mais do vapt vupt, da bola para frente e das jogadas em velocidade. Para ele, ter posse de bola e trocar passes no meio-campo é um jogo bonitinho. Felipão disse que a natureza não dá saltos. Essa é uma das frases mais usadas por Parreira em suas palestras. Segundo o Google, a frase é de um filósofo alemão, dita no século XVII. Felipão e Parreira querem dizer que tudo precisa ser programado. Nem sempre. As coisas mais espetaculares são as que surgem sem avisar, sem serem ensaiadas. É preciso ter talento e coragem para perceber e mudar. Alemanha, Argentina e Bélgica se classificaram na prorrogação. Três belíssimas partidas. Duro será assistir ao Brasileirão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave