Melhoras são visíveis entre as clientes

iG Minas Gerais | Louie Lazar |

Nova York. Martin Luther King Addo vê seu trabalho como mais do que apenas melhorar a forma física de pessoas idosas. Ele instalou um computador para eles usarem e organizou uma festa de fim de ano e um passeio até um restaurante ganense no Brooklyn.  

Os clientes de Addo têm idades e físicos diferentes, mas em geral é composto por mulheres idosas. Uma delas é Elizabeth Birnbaum, 72, bibliotecária aposentada que adora os discursos motivacionais de Addo sobre a conexão entre a saúde física e a mental. Outra delas é Diane Harris Brown, 66, que vai às aulas de segunda-feira e sofre do Mal de Parkinson.

Outra aluna é Carmen de Lemos-Chiarandini, 77, pesquisadora e professora associada aposentada, que caiu três vezes em dois meses, antes de fazer as aulas de Addo. Depois de dois meses cuidando do equilíbrio e da postura, ela já conseguia se levantar da cadeira sem usar as mãos. Desde então, não voltou a cair. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave