Fisiculturista premiado investe agora na saúde dos idosos

Aulas ajudam na recuperação do equilíbrio, da força e da mobilidade

iG Minas Gerais | Louie Lazar |

Perfil. A clientela de Addo tem idades e físicos diferentes, mas em geral é composta por mulheres idosas como Shirley Friedman, 90
Chang W. Lee/The New York Times
Perfil. A clientela de Addo tem idades e físicos diferentes, mas em geral é composta por mulheres idosas como Shirley Friedman, 90

Nova York, EUA. Com seus enormes músculos saltando da camiseta justa, Martin Luther King Addo, 44, instruía uma de suas clientes mais dedicadas durante um exercício de agachamento em sua pequena academia em Manhattan. “Você consegue, Shirley”.  

Shirley Friedman, uma senhora de 90 anos e cabelos grisalhos, mudou para outro aparelho, dobrando os joelhos para uma série de exercícios. “Eu nunca tinha feito essas coisas, mas ele me dá a confiança de que vou conseguir se tentar”, afirmou.

Addo, que criou seus músculos usando o galho de uma mangueira como barra e blocos de concreto como pesos, venceu duas vezes o prêmio Mr. Gana de fisiculturismo. Há anos, seu físico bem definido, os bíceps do tamanho de bolas de boliche e o sorriso constante o deixaram famoso em sua terra natal, na África Ocidental. Atualmente, Addo usa seus grandes músculos e sua experiência para ajudar idosos enfraquecidos a recuperarem o equilíbrio, a mobilidade e a força.

Ele trabalha em uma academia que abriu no ano passado em Manhattan, nos Estados Unidos. As paredes são decoradas com pôsteres de Addo sem camisa, exibindo os músculos. “Pergunte-me como construir um alicerce firme como pedra”, diz um dos cartazes, onde aparece vestindo shorts mínimos.

Recentemente, Mary Killoran, 86, levantava uma bola com alça. Mary, transcritora médica aposentada, vive sozinha desde 1971 em um apartamento. Há alguns anos sofreu uma queda brusca e passou a usar um andador.

Addo ensinou-lhe exercícios para o equilíbrio e técnicas de alongamento. Com o tempo, ela recuperou o equilíbrio e pôde trocar o andador por uma bengala. Agora, ela bebe um shake de proteínas todas as manhãs. Ela faz exercícios três vezes por semana, mas vai à academia até nos dias de folga para cumprimentar Addo. Ele a ajuda a “ser mais alegre, porque não precisamos ser deprimidos”, afirmou.

Addo também afirma que os idosos lhe dão energia. Criado em uma tribo ashanti, Addo sempre ouviu dizer que melhorar a vida dos idosos era a maior das virtudes. “Elas me lembram de minhas avós e minhas tias”.

História. A vida de Addo se transformou quando era adolescente em meados dos anos 80 e assistiu “Comando Para Matar”, com Arnold Schwarzenegger. Ele vivia com a avó no vilarejo de Asafo, na região oeste de Gana, e assistiu, absolutamente encantado, à cena de Schwarzenegger empurrando carros e carregando troncos de árvore sobre os ombros. Addo decidiu naquele momento que dedicaria sua vida para se transformar em Schwarzenegger.

Ele estudava revistas norte-americanas de musculação e construiu uma academia no quintal da tia. Aos 24 anos, Addo era gigantesco, como um boneco ashanti do He-Man em carne e osso, e sabia que “finalmente tinha os músculos” para entrar em competições de fisiculturismo.

Em 1995 e 1996, venceu o título de Mr. Gana e se tornou uma celebridade nacional, aparecendo em comerciais de TV. Ele mostrava os músculos sempre que estava em público, fazendo as meninas sorrirem, afirmou Samuel Kissiedu, antigo repórter esportivo em Gana.

Mas o sonho de Addo era viver na América – “a terra de ouro das grandes oportunidades”, conforme ele diz – e seguir os passos de Schwarzenegger. Em 1999, Addo chegou a Nova York. Recebeu a certificação de personal trainer e, há alguns anos, alugou uma loja e abriu sua academia.

Socialização

Importante. No aniversário de 90 anos de Shirley Friedman, Addo terminou as aulas mais cedo. Cerca de 25 pessoas se reuniram enquanto ela assoprava as velinhas de um bolo trazido por Addo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave