Topografia ajuda Capitólio

Cidade ainda não sofreu os graves efeitos da seca

iG Minas Gerais | Thaís Pimentel |

A cidade de Capitólio, com mais de 8.000 habitantes, ainda não sofreu os graves efeitos da seca. Apesar da queda do nível da represa, a topografia do município ajuda a manter parte da água, por causa da grande profundidade do lago naquele ponto.  

Por enquanto, as cachoeiras Lagoa Azul e Trilha do Sol, além da praia artificial Domingos Gonçalves Machado – algumas das principais atrações da cidade –, não foram prejudicadas. Porém, com a estação seca, que se estende até setembro, a preocupação toma conta da população.

“Já estamos apreensivos. Até agora, o fluxo de turistas tem sido normal para esta época do ano, mas, se a chuva demorar a chegar, toda a nossa cadeia produtiva poderá ser afetada”, revela a secretária de Turismo e Lazer do município, Andréia Rodrigues Silva.

A Pousada Mar de Minas, uma das 12 opções de hospedagem em Capitólio, continua recebendo turistas normalmente. “O movimento diminuiu um pouco por causa do frio, mas a expectativa para a alta temporada, em outubro, ainda é boa. Não sentimos os efeitos da estiagem. Acho que são poucos os que podem dizer isso”, diz o gerente, Rafael Leite.

Contraste. Já na Pousada Pontal do Lago, em Carmo do Rio Claro, que, assim como Capitólio, faz parte do Circuito Turístico Nascentes das Gerais, a ocupação já foi bem melhor. “Agora já está bem pior que no ano passado. O lago está muito seco”, disse uma funcionária.

Leia tudo sobre: Capitóliotoprografisseca