Dois operários morrem após soterramento em obra de presídio em Icém

Primeira vítima foi retirada dos escombros e encaminhada para o pronto-socorro do município, mas não resistiu aos ferimentos e morreu

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Dois operários morreram nesta terça-feira (1) após soterramento de uma obra em Icém (496 km de São Paulo), na região de São José do Rio Preto, São Paulo. Eles trabalhavam na construção de um presídio, às margens da rodovia BR-153.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as vítimas estavam em uma vala com aproximadamente cinco metros de comprimento e quatro metros de profundidade.

O local foi aberto para a instalação da tubulação de esgoto. Eles foram soterrados quando uma das paredes de terra desabou.

Funcionários ajudaram no resgate com auxílio de uma retroescavadeira. A primeira vítima foi retirada dos escombros e encaminhada para o pronto-socorro do município, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Já a segunda foi encontrada quase quatro horas depois do acidente, já sem vida.

A Polícia Civil de Icém vai abrir um inquérito para investigar o caso.

A empreiteira responsável pela obra foi procurada, mas não foi encontrada para comentar o assunto.

Os dois homens trabalhavam na construção de um CDP (Centro de Detenção Provisória), que teve as obras iniciadas em 2012.

De acordo com a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, o local terá capacidade para abrigar até 847 presos e foi anunciado pelo governo do Estado em dezembro de 2011. A obra está orçada em mais de R$ 35 milhões.

A construção do presídio teve o cronograma interrompido após a Justiça de Nova Granada (471 km de São Paulo) embargar o início dos trabalhos, depois que uma ação judicial foi movida pela Cetesb (Companhia Ambiental de São Paulo).

Segundo uma liminar concedida pela Justiça, era necessário elaborar um estudo de impacto ambiental.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave