Valcke elogia Copa, mas se preocupa com manipulação de resultado

Secretário-geral da FIFA tem gostado do nível técnico das partidas, mas reconhece que há fraudes até em jogos de um Mundial

iG Minas Gerais | Folhapress |

Valcke quer eventos-teste no Itaquerão até o meio de maio
REPRODUÇÃO/FIFA
Valcke quer eventos-teste no Itaquerão até o meio de maio

RIO DE JANEIRO, RJ - O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, voltou nesta terça-feira (1º) a elogiar a Copa do Mundo no Brasil e admitiu que a entidade tem um certo tipo de impotência no combate da manipulação de resultados no futebol.

O francês, que tantos atritos teve com as autoridades brasileiras durante os anos de preparação para o Mundial e chegou a dizer que o país deveria levar um "pontapé" no traseiro para agilizar as obras, disse que a competição tem o melhor futebol de todos os tempos e também comemorou o clima que tomou conta do país.

"Sem dúvida é a melhor Copa quanto ao nível de futebol. Temos muitas surpresas. A Bélgica, a Argélia surpreendendo, quando fez um grande jogo contra a Alemanha", disse o dirigente, à SporTV.

"O que vemos fora, nas ruas, é o que todos esperávamos do Brasil. De chegarmos ao país do futebol, onde futebol é uma religião. Está no caminho de ser a grande Copa", adicionou.

Na semana passada, em entrevista coletiva em que fez o balanço da primeira fase, Valcke já havia dito que "O Brasil está na rota do sucesso na organização da Copa."

FRAUDES NO FUTEBOL O cartola, porém, mostrou preocupação com as suspeitas de que Camarões manipulou resultados no Mundial e disse que a Fifa não tem como coibir totalmente essa prática.

"Isso existe, e é algo que não vamos conseguir eliminar 100%. Isso acontece em alto nível e em níveis menores. O que nós podemos fazer é controlar as apostas legais. Trabalhamos com duas empresas que monitoram isso pelo mundo, mas é muito difícil lutar contra o que é feito por baixo dos panos", afirmou.

Derrotada por Brasil, Croácia e México na primeira fase do Mundial, a seleção de Camarões tem sido investigada por sua federação nacional, a Fecafoot, sobre suspeita de fraude.

A maior suspeita recai sobre a goleada por 4 a 0 sofrida ante os croatas, na segunda rodada. O resultado eliminou os camaroneses da Copa com um jogo de antecipação.

As denúncias contra Camarões vieram do fraudador condenado Wilson Raj Perumal, que previu com precisão em um debate com a revista alemã Der Spiegel o resultado e a expulsão de um jogador -Song ainda no primeiro tempo da partida contra os croatas. O volante do Barcelona foi expulso após dar uma cotovelada nas costas de Mario Mandzukic.

O jogo também foi marcado por um incidente perto do fim, quando Benoit Assou-Ekotto deu uma cabeçada no companheiro de equipe Benjamin Moukandjo.

"Denúncias recentes de fraude em torno dos três jogos de Camarões na Copa do Mundo 2014, em especial em Camarões e Croácia, assim como a existência de 'sete maçãs podres' [em nossa seleção], não refletem os valores e princípios promovidos por nossa administração", disse um comunicado da Fecafoot.

"Queremos informar o público em geral que, embora ainda não contatada pela Fifa sobre esse assunto, nossa administração já instruiu o Comitê de Ética para investigar mais a fundo essas acusações", acrescentou a federação.

"Estamos fortemente comprometidos a lançar mão de todos os meios necessários para resolver essa questão perturbadora sem demora", completou o presidente interino da Fecafoot, Joseph Owona.

Além da derrota para a Croácia, Camarões também perdeu para o México por 1 a 0, no dia 13 de junho, em Natal, e para a seleção brasileira por 4 a 1, em Brasília, no dia 23 de junho.

O jogo contra o Brasil, aliás, havia sido classificado pelo diretor de segurança da Fifa, Ralf Mutschke, como de "risco maior" de manipulação pelo fato de os camaroneses já estarem eliminados do Mundial.