Garotinho anuncia bombeiro preso em 2011 como vice ao governo do Rio

A chapa pura foi formada porque o PEN desistiu do apoio e deverá migrar para a campanha do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, do PMDB

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O deputado Anthony Garotinho (PR) anunciou nesta terça-feira (1º) que o vice na sua chapa de campanha para o governo do Rio de Janeiro será o vereador e bombeiro Márcio Garcia, também do PR.

A chapa pura foi formada porque o PEN desistiu do apoio e deverá migrar para a campanha do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, do PMDB.

Em entrevista coletiva, Garotinho afirmou que o seu vice representará, simbolicamente, o descaso do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) com o funcionalismo público. Em 2011, Garcia foi um dos 439 bombeiros presos por participar de uma manifestação por melhores salários.

"Ele foi vítima do governo. Sua escolha é para lembrar, durante a campanha, do que Cabral fez com o funcionalismo. Do ponto de vista simbólico eu não poderia ter um vice mais forte. Ele é o símbolo do destrato de Cabral com o funcionalismo e da arrogância de Cabral", disse o deputado.

Depois de ter garantido o apoio do Pros, que indicou o deputado Hugo Leal ao Senado, Garotinho teve de encontrar um nome dentro do próprio partido para fechar a chapa. Ele tem ainda o apoio do PTdoB. A coligação lhe dará cerca de 3 minutos de propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

Apesar de declarar apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff, Garotinho afirmou que isso não o impedirá de criticar o PMDB e o PT do Rio. Para ele, os petistas são coniventes com os fracassos sociais no Estado por terem ocupado a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos.

"O PT do Rio é tão incompetente quanto o PMDB do Rio. Os dois são sócios do fracasso no Estado", disse. Ele sugeriu ainda que a presidente está sendo "enganada" pelo PMDB, que estaria "claramente fazendo campanha" para Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência.

"Se a presidente tivesse que escolher hoje uma música para simbolizar o Rio, teria que escolher 'me engana que eu gosto'", provocou.

Declaradamente, Dilma terá quatro palanques no Rio. Além do apoio de Pezão e de Garotinho, Lindberhg Farias, do PT, e Marcelo Crivella, do PRB, também darão espaço para a petista fazer campanha no Estado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave