Ribéry recusa convite para assistir França e Alemanha

Presidente da federação francesa confirmou que atacante rejeitou acompanhar jogo das quartas de final

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Ribéry é a grande estrela da seleção francesa
Reprodução/Facebook
Ribéry é a grande estrela da seleção francesa

Cortado da Copa do Mundo três dias antes da seleção francesa embarcar para o Brasil, o atacante Franck Ribéry recusou convite da FFF (Federação Francesa de Futebol) para assistir ao jogo das quartas de final contra a Alemanha nesta sexta-feira (4) no Maracanã, no Rio.

A confirmação do convite e da recusa do jogador foi feita à reportagem pelo presidente da federação, Noël Le Graët. Comentaristas apontam que o bom desempenho da França no Mundial se deve à ausência de Ribéry. Segundo eles, a equipe está mais coletiva e imprevisível do que com o jogador.

Com uma lombalgia crônica, Ribéry não conseguiu se recuperar para o Mundial. Além dele, o meia Clément Grenier, cortado devido a problemas na virilha, também foi convidado.

A saída de Ribéry, eleito o terceiro melhor jogador do mundo pela Fifa em 2013, fez a França questionar sobre suas chances no Mundial. Porém, o time foi responsável por uma das maiores goleadas do campeonato, de 5 a 2 na Suíça, e a vitória contra a Nigéria pelas oitavas de final nesta segunda-feira (30).

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (1º), o técnico Didier Deschamps disse que o convite a Ribéry e Grenier foi feito. Ele, porém, não soube afirmar se os jogadores viriam ao Brasil.

"Ficarei muito feliz se eles puderem vir e sei que será muito bom também para a equipe. Eles estavam machucados e não puderam comparecer, foi muito triste a saída dos dois e será um grande prazer vê-los aqui", disse Deschamps.

CARTÃO AMARELO

Perguntado sobre a entrada de Blaise Matuidi sobre o jogador da Nigéria Ogeiniy Onazi, Deschamps disse que o cartão amarelo que o meia levou foi a punição adequada. O técnico francês afirmou ainda não acreditar que a França tenha sido favorecida com a decisão do juiz.

"Ele poderia ter levado uma punição mais grave, mas não tenho o sentimento de que a gente foi favorecido. Mas a decisão foi tomada, talvez se eu fosse nigeriano teria reclamado. Não acredito que isso influenciou o jogo", disse Deschamps.

Após o golpe, o meia Onazi deixou o campo. De acordo com Deschamps, Matuidi já se desculpou com o jogador nigeriano.

Leia tudo sobre: FrançaCopa do MundoAlemanhaRibéryMundialMaracanã