Victor diz que choro é uma forma de motivar o elenco da seleção

Arqueiro atleticano, terceiro reserva de Felipão, não vê problema nas lágrimas dos jogadores após os jogos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

JOÃO GODINHO
undefined

Terceiro goleiro da seleção brasileira, Victor avalia de fora a choradeira dos principais jogadores da seleção brasileira antes e depois dos jogos da Copa do Mundo. E não vê problemas.

"Os jogadores estão vivendo essa Copa do Mundo de forma intensa, e isso acaba extravasando através do choro. Isso não é ruim, é uma forma de motivar. No início da cobrança de pênaltis o Júlio César acabou chorando e fez o que fez [defendeu duas cobranças]. Acho que isso é intensidade e orgulho de representar tantas pessoas, não vejo isso de forma negativa, vejo como motivação", disse Victor, que é reserva de Júlio e de Jefferson na seleção de Luiz Felipe Scolari.

O goleiro do Atlético não é emotivo e prefere a fé. Antes da cobrança dos pênaltis contra o Chile, no sábado (28), ele entregou um terço para que Júlio colocasse dentro do gol.

"Não sou tão emotivo, tento ser mais frio, mas é impossível que em algum momento [algum jogador] não se emocione. Aconteceu na execução do hino de correr algumas lágrimas, acredito que todos os brasileiros se emocionam. O terço foi uma ideia que surgiu na hora, nada programado. O Júlio aceitou", disse Victor.

Nesta terça-feira (1º) a psicóloga Regina Brandão, que já havia feito um perfil psicológico de cada atleta para dar a Luiz Felipe Scolari antes da Copa, está na Granja Comary conversando com os atletas.

Leia tudo sobre: Copa do MundoVictorBrasilpsicológicochoroFelipão