EUA e Bélgica travam outros duelos além do futebol

Equipes que disputam vaga nas quartas de final da Copa nesta terça, às 17h, em Salvador, possuem históricas competições em outros campos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Reprodução
undefined

Uma matéria publicada na edição desta terça-feira (01) na versão online New York Times nos lembra que a rivalidade entre Estados Unidos e Bélgica, que se enfrentam hoje às 17h na Fonte Nova pelas oitavas de final da Copa do Mundo, vai muito além das quatro linhas.

O divertido texto assinado por Ben Rothenberg traça comparações diretas entre os dois países em diversos setores: desde outros esportes até o ramo do entretenimento.

Ele destaca, por exemplo, a grande rivalidade entre os dois países no tênis feminino, nos últimos anos, representados pelos duelos entre  as norte-americanas Serena e Venus Williams e as belgas Kim Clijsters e Justine Henin. Elas se revezaram no topo do esporte, especialmente na última década, com vantagem para as norte-americanas, que seguem na ativa e continuam, portanto, aumentando esse placar favorável. EUA 1 x 0 Bélgica.

Outra boa disputa entre as duas nações está na cerveja, uma paixão dos dois povos. Enquanto os belgas carregam a fama de produzir as melhores cervejas do mundo, os ianques tem como característica o fato de serem um dos maiores mercados consumidores do planeta. Em 2008, o conglomerado belga InBev comprou a empresa norte-americana Anheuser-Busch, colocando um selo belga em algumas das mais icônicas cervejas norte-americanas. Golaço de empate belga, 1 x 1 mostra o placar.

Ainda no setor "melhores coisas da vida", temos os chocolates. Enquanto os belgas produzem algumas das melhores guloseimas do planeta, os norte-americanos tem lá suas marcas famosas; mas, como nos lembra o autor da reportagem, ninguém suspira de desejo ao ouvir os nomes Mars ou Hershey´s. Virada dos Red Devils com estilo: 2 x 1.

No mundo dos quadrinhos e desenhos animados, temos outro bom duelo. Mas por mais que os Smurfs ou o Tintin sejam personagens muito simpáticos desenhados por belgas, talvez seja difícil compará-los com os Simpsons ou a imensa constelação de super-heróis norte-americanos, como Homem-Aranha, Batman ou Superman. Empate ianque, com sabor de vitória.

Para deixar a disputa em aberto o jornalista nos lembra de grandes ícones do cinema mundial, especialmente para aqueles que trocam bons roteiros ou atuações por uma pancadaria das boas na tela. Sobem no ringue portanto Sylvester Stallone e sua interminável franquia de clássicos da ação ( "Rocky", "Rambo") e o não menos mítico- apesar de mais jovem- Jean Claude Van Damme, os "Músculos de Bruxelas". Nesse caso, cá pra nós, preferimos deixar o duelo em aberto, assim como o jogo de hoje, em Salvador...

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia tudo sobre: COPA DO MUNDO