Bandidos rendem quatro, arrombam agência e levam cofre de banco na UFV

Delegado que investiga o caso, avalia a ação criminosa como "bem sistematizada"; universidade afirma que responsabilidade pela segurança da agência é do próprio banco

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Cinco bandidos fizeram quatro pessoas reféns, arrombaram uma agência bancária e roubaram um cofre, dentro da Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Viçosa, na Zona da Mata, nessa segunda-feira (30). Até o momento, ninguém foi preso.

De acordo com o delegado Felipe Fonseca Peres, da 21ª Delegacia de Polícia Civil de Viçosa, responsável pelas investigações do caso, os cinco suspeitos estavam em uma caminhonete prata, cabine dupla, em uma estrada que dá a acesso a cidade, entre Coimbra e Ervália, onde renderam dois homens em um Cross Fox preto, na noite desse domingo (29). Quatro dos suspeitos entraram no carro das vitimas e seguiram para uma estrada vicinal, onde permaneceram por cerca de três horas. O quinto homem ficou na caminhonete e se encaminhou para um ponto estratégico.

No carro roubado, os bandidos seguiram para a universidade, entrando por uma via alternativa. Ao se depararem com uma barreira, renderam um vigia, amarram-o e o colocaram no porta-malas do carro. Seguiram para a agência do Itaú, na praça de Vivência da instituição.

Próximo ao banco, renderam mais um segurança. No local, arrombaram a porta com um pé de cabra e chutes e obrigaram as vítimas a arrastar o cofre até o Cross Fox. Depois, mandaram que os quatro reféns saíssem correndo do local. O grupo de bandidos entrou no carro e fugiu rapidamente.

As investigações da Polícia Civil apontam que os quatro suspeitos encontraram com o quinto integrante do grupo no local combinado, passaram o cofre para a caminhonete e abandonaram o veículo roubado a cerca de 5 km de Viçosa, perto de um pequeno aeroporto.

“A ação foi bem sistematizada. Eles (os bandidos), aparentemente, não utilizaram celulares, nem rádio de comunicação, e estavam todos encapuzados. As aramas utilizadas são, possivelmente, um revólver calibre 22, duas pistolas e uma espingarda calibre 12. Foi uma estratégia diferenciada. Eles sabiam da vulnerabilidade do local”, explicou o delegado.

As vítimas não ficaram feridas e estão contribuindo com as investigações. A polícia continua fazendo buscas para encontrar os bandidos, mas ainda, nenhum deles foi identificado. O banco foi procurado pela reportagem, mas até o momento não se manifestou sobre o crime. Segundo Peres, o valor roubado, ainda não foi divulgado pela agência.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a UFV informou que a segurança do banco não é de responsabilidade da universidade, mas sim da própria agência. Além disso, disse que as ações de segurança na instituição são contínuas e que entre as medidas adotadas no campus Viçosa estão a “contratação de mais vigias diurno e noturno, a implantação de um sistema de videomonitoramento, com 17 câmeras externas e a instalação de mais de cem câmeras internas nos departamentos, pavilhões de aulas, Biblioteca Central, Reitoria e Edifício Arthur Bernardes".

A nota afirma ainda que "estão em fase de licitação 14 câmeras Speed dome de alta resolução e outras 90 câmeras para serem distribuídas em setores estratégicos do campus. Também, serão construídas guaritas em todas as entradas e saídas principais da UFV Viçosa e já foi expandido o sistema de alarme, com mais 40 centrais que incluem cem pontos de monitoramento. Além dessas medidas, desde 2013, há uma parceria firmada entre a Polícia Militar e a universidade, que cedeu uma sala no prédio da Diretoria de Logística e Segurança (DLS) para a instalação de um ponto de apoio da polícia".  

Leia tudo sobre: UFVroubobancoItaúrendemsegurança