Gestores causaram rombo de US$ 126 mi

Relatório do TCU aponta prejuízo na compra de Pasadena

iG Minas Gerais |

Brasília. Um relatório inédito da área técnica do Tribunal de Contas da União (TCU) indica que os gestores da Petrobras causaram um dano de pelo menos US$ 126 milhões aos cofres da estatal por terem desconsiderado um laudo de avaliação da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, elaborado por uma consultoria contratada pela própria estatal com apontamento de preço do empreendimento inferior ao que foi pago.

O documento do TCU, obtido pelo jornal “O Globo”, cita ainda que a estatal declarou ter pago US$ 170 milhões pela metade de um estoque que não valeria US$ 66,7 milhões.

Os auditores do TCU consideram que, no caso dos estoques, há indício de irregularidade na maneira como a Petrobras tratou do assunto. A estatal informou ao mercado que pagou os US$ 170 milhões por estoques de produtos que estavam na refinaria na época da compra. Mas, ao analisar os detalhes do contrato, os auditores dizem que essa cifra efetivamente paga e declarada ao mercado não tinha relação com os estoques. Era de outra natureza, fazia parte de ajuste de preço na transação comercial.

Os indícios de irregularidades são citados no primeiro parecer técnico elaborado pela Secretaria de Controle Externo (Secex) de Estatais do TCU, responsável pelo amplo pente-fino realizado no processo de compra da refinaria de Pasadena, no Texas.

O procedimento foi instaurado em fevereiro de 2013, sob a relatoria do ministro José Jorge. Em 27 de novembro, o diretor da Secex Bruno Lima Caldeira, supervisor da fiscalização, concluiu um documento de 17 páginas com apontamentos de indícios de irregularidades na aquisição de Pasadena.

Preliminar

Técnico. As investigações do TCU prosseguem até a conclusão do relatório final, que será submetido ao gabinete do presidente do Tribunal para, em seguida, ser apreciado em plenário.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave