Obama afirma que agirá por decreto após bloqueio à reforma migratória

Decisão foi tomada após ele ser informado pelo presidente da Câmara, John Boehner, de que os republicanos pretendem obstruir a reforma pelo menos até o final do ano

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Segundo Obama, a atitude dos republicanos é nociva para a segurança, a economia e o futuro do país
AP Photo/Jacquelyn Martin
Segundo Obama, a atitude dos republicanos é nociva para a segurança, a economia e o futuro do país

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que pretende atuar por decreto em assuntos relativos à imigração, devido ao bloqueio dos republicanos à votação da reforma migratória na Câmara dos Representantes. O projeto de lei foi aprovado no Senado há um ano.

Segundo Obama, a atitude dos republicanos é nociva para a segurança, a economia e o futuro do país. A decisão foi tomada após ele ser informado pelo presidente da Câmara, John Boehner, de que os republicanos pretendem obstruir a reforma pelo menos até o final do ano.

O bloqueio é mais um de uma série de golpes na agenda política nacional de Obama e ocorre no momento em que o mandatário lida com uma crise de menores desacompanhados atravessando as fronteiras do país.

O presidente encarregou o secretário de Segurança Interna, Jeh Johnson, e o procurador-geral dos EUA, Eric Holder, a mobilizarem recursos para a fronteira. Eles também deverão estudar ações adicionais que o Executivo possa tomar em relação ao sistema migratório.

Às críticas de que estaria atropelando os congressistas com sua decisão, Obama disse que prefere soluções permanentes por via legislativa e que, "se os republicamos da Câmara Baixa estão realmente preocupados com o fato de eu tomar muitas medidas executivas, a melhor solução para isso é aprovar leis".

Leia tudo sobre: OBAMA; reforma migratória