Engenheiro diz que não conseguiu sair de mata após sofrer acidente

Bruno Souza Gusmão, de 26 anos ficou desaparecido durante sete dias; ele já recebeu alta e passa bem

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

Engenheiro fez contato com a família em um bar onde foi pedir comida
Reprodução / Web Repórter
Engenheiro fez contato com a família em um bar onde foi pedir comida

O engenheiro Bruno Souza Gusmão, de 26 anos, que ficou sete dias desaparecido após sofrer um acidente de carro e ficar perdido em uma mata em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, recebeu alta do hospital onde passou por exames na madrugada desta segunda-feira (30). Ele contou aos familiares que após o acidente entrou na mata e ficou perdido sem conseguir voltar para a estrada.

"A gente imagina que com o impacto ele tenha ficado meio desnorteado e por isso tenha se perdido dessa maneira. Ele está se recuperando bem, mas ainda está muito assustado com tudo o que ocorreu e com dificuldades de nos contar exatamente o que ocorreu. O corpo dele está bastante picado de insetos”, contou a empresária Cleide Márcia Cardoso de Souza, 42, tia do jovem.

A família não tinha notícias do rapaz desde o dia 22 de junho, quando ele saiu de Montes Claros, no Norte de Minas, para participar de uma reunião de trabalho em Diamantina. O jovem só foi encontrado no último domingo (29), quando conseguiu ligar de um bar para o pai. Ele estava desidratado e precisou ser hospitalizado.

Ele irá prestar depoimento a Polícia Civil de Diamantina ao longo dessa semana. Segundo a polícia, o engenheiro prestaria depoimento nesta segunda-feira, mas a família pediu que fosse adiado, já que o jovem estava muito abalado e o pedido foi aceito. 

Relembre

Após sair de Montes Claros em direção à Diamantina para uma reunião de trabalho, o engenheiro Bruno Souza Gusmão, de 26 anos, acabou desaparecendo misteriosamente. No último domingo (22), o carro dele, um Volkswagen Gol, foi encontrado batido na Serra de Diamantina, próximo ao Campus da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), sem nenhum de seus pertences.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave