Rodrigo Paiva se defende após punição da Fifa

Brasileiro foi acusado por dirigentes chilenos de ter dado um soco no rosto do atacante Pinilla no intervalo do empate por 1 a 1 entre as duas equipes, no sábado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Rodrigo Paiva (esq) teria agredido atacante chileno durante confusão entre Brasil e Chile, no Mineirão
Divulgação
Rodrigo Paiva (esq) teria agredido atacante chileno durante confusão entre Brasil e Chile, no Mineirão

Suspenso com uma partida pelo Comitê Disciplinar da Fifa após envolver-se em uma briga com chilenos, o diretor de comunicação da CBF Rodrigo Paiva emitiu uma resposta oficial por meio do site da entidade. No comunicado, o dirigente declarou que já possui provas relacionadas à sua atitude durante o desentendimento e que aguardará a apuração da Fifa.

“Respeito, como sempre respeitei, as decisões da Fifa. O caso está sendo investigado pelo Comitê Disciplinar da entidade, e o mesmo já tem à sua disposição provas da conduta reprovável por parte de membros da delegação chilena e que trarão luz à verdade dos fatos", afirmou. 

A CBF tem até terça-feira (1º) para apresentar a defesa de Paiva. O dirigente ainda pode receber uma pena definitiva mais grave.Nenhum jogador ou dirigente chileno foi punido pelos incidentes.

O brasileiro foi acusado por dirigentes chilenos de ter dado um soco no rosto do atacante Pinilla no intervalo do empate por 1 a 1 entre as duas equipes, no sábado (28). A seleção venceu nos pênaltis e avançou no Mundial.