O retorno do gênio do cartum

Criador de “Calvin e Haroldo”, o aclamado cartunista Bill Watterson volta a desenhar depois de 19 anos de jejum

iG Minas Gerais |

O retorno de Bill. O criador de “Calvin e Haroldo” volta a desenhar tirinhas depois de 19 anos
HEBUS.COM DIVULGACAO
O retorno de Bill. O criador de “Calvin e Haroldo” volta a desenhar tirinhas depois de 19 anos

Bill então sumiu do mapa e, apesar de afirmar na carta de despedida a seus editores que continuaria a trabalhar, nunca mais voltou a desenhar. Até este mês.

Por três dias consecutivos, as tiras “Pearls Before Swine”, de Stephan Pastis, foram divididas com o criador de “Calvin & Haroldo”, marcando o retorno do “J. D. Salinger das tiras” aos quadrinhos comerciais após 19 anos.

“Nunca acharia que isso poderia acontecer. Foi um choque. ‘Calvin & Haroldo' foi uma influência enorme em minha carreira e teve um grande impacto em todos os cartunistas da minha geração”, exalta Pastis à reportagem.

O mais surpreendente é que a ideia do retorno partiu do próprio Watterson. Pastis pediu ao amigo Nick Galifianakis, que trabalha com o recluso artista em um livro sobre Richard Thompson – um colega veterano que sofre de mal de Parkinson–, um encontro com seu maior ídolo.

A reunião não deu certo, mas Pastis decidiu mandar um e-mail a Watterson depois de publicar uma tirinha na qual finge ser o criador de “Calvin & Haroldo” para levar uma mulher para a cama.

“Escrevi apenas para agradecer por seu trabalho, então ele me respondeu perguntando se eu estava interessado em uma colaboração. Eu não conseguia acreditar”, conta Pastis. “Pearls Before Swine” faz humor autodepreciativo.

“Alguns anos atrás, quando Stephan fez uma de suas tiras brincando com sua habilidade de desenhar e mencionou meu trabalho em comparação, eu pensei que poderia ser divertido assumir ‘Pearls’ alguma hora”, disse Watterson, em rara entrevista, ao jornal “Washington Post”. “Era uma ideia boba, porque não conhecia Stephan, então não a persegui e os anos se passaram”, disse.

Mas Pastis não só topou a missão como sugeriu uma mudança: a criação de uma estudante da segunda série que desenharia os painéis centrais da tira como prova da mediocridade do autor original. Watterson gostou da mudança. “Foi uma pressão. Eu precisava escrever algo que Bill Watterson gostasse”, diz Pastis.

O cartunista explica que todos os contatos com seu ídolo foram via e-mail. Como Watterson não é muito fã de tecnologia, o envio dos desenhos foi feito via correio.

Na primeira semana de junho, sem nenhum aviso, a parceria começou a ser publicada em cerca de 750 jornais dos EUA. Alguns fãs desconfiaram ao notar o estilo “Calvin & Haroldo”, mas o acordo impedia a revelação da parceria, que só foi assumida quando a terceira tira saiu.

Tudo segue à risca a ética profissional de Watterson, que nunca vendeu os direitos de “Calvin & Haroldo” para cinema ou TV nem licenciou os personagens para camisetas e produtos semelhantes.

As artes originais irão a leilão em 8 de agosto, em Dallas, e os lucros serão revertidos para a fundação criada pelo ator Michael J. Fox.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave