TCU aponta 6.600 nomes que podem ficar inelegíveis por irregularidades

Lista já foi entregue ao Tribunal Superior Eleitoral e é composta por políticos e gestores públicos que tiveram contas reprovadas nos últimos 8 anos

iG Minas Gerais | Da redação |

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, entregou ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, uma lista com os nomes de 6.600 políticos e gestores públicos que tiveram contas reprovadas nos últimos 8 anos.

Como a Lei da Ficha Limpa prevê a rejeição de contas como uma das hipóteses de inelegibilidade, a lista será usada pela Justiça Eleitoral para avaliar pedidos de registros de candidatura de gestores que figuram na relação feita pelo TCU.

A inelegibilidade, no entanto, não é automática. Caso alguém que esteja na lista tente ser candidato, a Justiça Eleitoral analisará o pedido e, ouvindo argumentos da defesa e do Ministério Público ou de algum adversário político que apresentar representação poderá ou não barrar a candidatura.

De acordo com a lista, o Distrito Federal é o local com o maior número de gestores com contas reprovadas, com 729 inscrições. O Maranhão vem em segundo lugar com 513 e é seguido por São Paulo, com 485.

A relação do TCU ainda mostra Minas Gerais com 467 gestores com contas reprovadas, a Bahia com 439 e o Rio de Janeiro com 399. Os Estados com o menor número são Espírito Santo, com 106, Santa Catarina, com 102, Mato Grosso do Sul, também com 102 e Roraima, com 97.

Leia tudo sobre: eleiçõesnomesirregularidadeslistaTCUTSE