Holanda vira para cima do México nos acréscimos e segue viva na Copa d

Gol de pênalti de Huntelaar foi "banho de água fria" em cima dos mexicanos, que saíram de campo aplaudidos

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Esportes - Partida entre Holanda x Mexico do Estadio Castelao em  Fortaleza CE , valida pelas oitavas de final da Copa do Mundo 2014. Foto: Alex de Jesus/O Tempo 29/06/2014
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Esportes - Partida entre Holanda x Mexico do Estadio Castelao em Fortaleza CE , valida pelas oitavas de final da Copa do Mundo 2014. Foto: Alex de Jesus/O Tempo 29/06/2014

A Holanda sofreu e muito diante de um México agressivo e bem postado, em duelo na Arena Castelão, em Fortaleza, neste domingo. Mas o time europeu, um dos favoritos ao título da Copa do Mundo, passou pelo México por 2 a 1 e está nas quartas de final do torneio. A desclassificação não veio por pouco e teve influência direta do recuo do time mexicano no segundo tempo.

Depois de ver a eliminação de perto, os europeus anotaram um gol de empate somente aos 43 minutos do segundo tempo, com Sneijder, em chute de fora da área, mantendo o sonho vivo. A virada veio aos 48 minutos, com Huntelaar, em um pênalti polêmico, matando todas as esperanças mexicanas, que se mostraram tão vivas durante o confronto.

Agora, os holandeses aguardam a definição do confronto entre Costa Rica e Grécia, para saber quem vai enfrentar na próxima fase.

As vaias e os gritos de "puto", para atrapalhar os jogadores holandeses antes dos arremates, denunciavam que os donos da casa eram os mexicanos. O estádio cearense foi palco do terceiro jogo das oitavas de final e esteve repleto de verde, visto a grande maioria mexicana entre os 58.817 presentes.

A vibração da torcida prometida pelo técnico Miguel Herrera, ainda no hino, foi confirmada e foi impossível não se arrepiar. Os holandeses, apesar de favoritos dentro de campo, perderam a batalha nas arquibancadas. Com a bola rolando, os latinos começaram confiantes, com toques de bola precisos e chutes de longe. A torcida ajudava e os 14min nem tinha chegado quando gritos de ‘olé’ começaram. Pouco depois foi a vez de lance de grande perigo, com Herrera, que não abriu o placar por centímetros. A Holanda se mostrava tímida, sabendo que o calor seria um adversário até o final do jogo. A parada técnica pedida pelo técnico Louis Van Gaal foi concedida, já que os 32 graus desgastavam os dois lados ainda no primeiro tempo.

A marcação forte do México em peças como Robben, Sneijder e Van Persie diminuía o perigo, que poderia aparecer a qualquer momento.

A alta temperatura no primeiro tempo impediu um maior número de chances reais de gol. A melhor delas veio aos 42min, com Giovanni dos Santos, que teve seu chute bem interceptado pelo goleiro Cillessen.

A sequência reservou um erro mexicano na saída de bola, que por pouco não termina em gol. Robben carregou a bola e foi tocado na área antes de ter a bola roubada, em lance muito reclamado pelos holandeses, com razão. O prêmio mexicano pela maior consistência em campo veio logo aos 3min do segundo tempo, com Giovanni dos Santos. Em chute de fora da área, uma das armas do time nesta Copa, saiu o gol de abertura do placar.

A Holanda não demorou para reagir, com defesa de Ochoa à queima roupa, seguida de bola na trave, após cabeçada de De Vrij. Sneijder também assustou instantes depois.

Quando tudo parecia conspirar a favor do México, dois gols nos instantes finais deram mais uma mostra de como o futebol é injusto. O time de Miguel Herrera, talvez influenciado pelo calor, recuou nos últimos minutos e permitiu uma reação inesperada, que mantém a favorita Holanda viva no Mundial.

Esta foi a sexta vez seguida que o México cai nas oitavas de final da Copa do Mundo. A classificação esteve muito próxima, mas a chance de fazer história vai ficar para acontecer na Rússia. Na saída de campo, a torcida mexicana, orgulhosa, repetiu várias vezes o nome do país, que ficou muito perto de entrar entre os oito melhores da Copa do Mundo.

Leia tudo sobre: copa do mundoHolandaholandaMéxicomexicovencepênaltipolemicovirada