James Rodríguez e jogo em velocidade são apostas da Colômbia

Em mais um confronto sul-americano, colombianos serão adversários do Brasil nas quartas de final

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

undefined

No seu trabalho à frente da Colômbia nesta Copa do Mundo, o técnico argentino José Pekerman parece ter resgatado aquele comportamento ofensivo bastante marcante de outras seleções colombianas do passado.

Com uma geração jovem e talentosa, o treinador sul-americano conseguiu armar um time bem organizado dentro das quatro linhas e fazer com que o elenco não sentisse a ausência do astro Falcao Garcia, além do zagueiro Luis Perea e dos volantes Aldo Ramírez e Valencia, todos cortados por lesão.

Com isso, conseguiu uma classificação inédita da Colômbia às quartas de final do Mundial, além de ter o ataque mais positivo até agora da competição, com 11 gols, e o artilheiro isolado do torneio, o meia James Rodríguez, com cinco.

Apesar dos bons resultados logo no início, Pekerman demonstrou que começou a Copa com muitas dúvidas em relação ao time e à formação tática ideal para colocar em prática o jogo de poucos toques e transições rápidas.

Para se ter uma ideia, a Colômbia troca 279 passes por jogo, uma das menores médias do Mundial, segundo o Datafolha. Isso mostra que a equipe define rapidamente as suas jogadas. Porém, mesmo com o modelo de jogo definido, o técnico mudou a equipe durante a competição.

Após os dois primeiros jogos no 4-2-3-1, com Ibarbo junto a Cuadrado e James Rodríguez formando a linha dos três meias, o treinador argentino foi para o 4-4-2, com Jackson Martinez na vaga de Ibarbo e próximo a Gutierrez, formando uma dupla de ataque com praticamente dois centroavantes de área. Foi assim que venceu o Uruguai por 2 a 0 neste sábado (28), pelas oitavas de final.

Com isso, James Rodríguez, pela direita, e o rápido Cuadrado, pela esquerda, ditam o meio de campo ofensivo, com velocidade nas transições e inserções pela faixa central do campo. Inclusive, ambos são os responsáveis por puxar os contra-ataques quando o time rouba a bola. Mas, com características diferentes.

Polivalente, James Rodríguez sai bastante do lado direito para atuar pelo meio e se aproximar da grande área, movimentação que o fez marcar a maioria dos gols da equipe. Já Cuadrado funciona como uma válvula de escape para a criação de jogadas pelos lados, buscando os cruzamentos.

Além disso, a Colômbia tem laterais que dão velocidade ao ataque. Pela esquerda, Armero, que jogou no Palmeiras, avança um pouco menos do que Zuñiga, que participa mais das jogadas no ataque.

Nas quatro partidas que fez até agora, a equipe sul-americana ataca , em sua maioria, pelo setor direito, de acordo com a Fifa. Somente no confronto contra a Grécia, ainda na fase de grupos, este lado do campo representou 45% de todas as jogadas de ataque do time.

Quando estão no momento defensivo, os colombianos não marcam pressão e optam pela recomposição de todos atrás da linha do meio de campo. Formam duas linhas compactas de quatro jogadores à frente do goleiro Ospina para justamente ter espaços para sair no contragolpe quando conseguir a roubada de bola.