Personagem de luta livre é inspiração para torcedores mexicanos

Lutador teve presença ativa até o final dos anos 90 e hoje é homenageado por presentes no estádio do Castelão

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Pedidos de fotos não faltaram para o 'Super Boneco'
DANIEL OTTONI - WEBREPORTER
Pedidos de fotos não faltaram para o 'Super Boneco'

Se pedirem para que se digam três coisas que marcam o México, uma delas que tem boas chances de ser citada, é a luta livre. O evento, que faz parte de tours de agências de turismo, tem grande repercussão no país e personagens não faltam nas disputas. Um deles, inclusive, é homenageado por quarteto de torcedores mexicanos, que estão em Fortaleza para acompanhar o jogo entre seu país e a Holanda, neste domingo, às 13h. Enquanto muitos mexicanos pode ser vistos nos arredores do estádio, a turma europeia parece que vai deixar para comparecer de última hora.  O ‘Super Boneco’ foi um dos famosos lutadores de luta livre, que chegou ao fim de cena no final dos anos 90. Mesmo assim, ele foi lembrado por Miguel de la garça e Cayery Guzmán e dois amigos, que vieram diretamente da Cidade do México para a Copa. A fantasia inclui máscara e muitos músculos desenhados na parte de cima. Enquanto um deles virou lutador, os outros tentavam chamar atenção com chapéus com o famoso CH de Chapolín e grandes sombreros. “Na verdade, o nome correto é choros. Quem os usa é uma espécie de artista de rua, que brinca com cordas de outras coisas”, indica Guzmán. Inspirados no lutador, o quarteto espera que sua seleção leve a Holanda à lona, nesta tarde. A animação do grupo era grande, assim como a esperança de uma classificação inédita para as quartas após 28 anos. “Dois a zero, gols de Peralta e Chicharito”, indica um. O ‘Super Boneco’, mais exaltado, não perde a chance de cravar seu palpite. “Iremos vencer com um gol contra do Van Persie. Pode anotar”, destaca, antes de imitar o personagem como ele fazia antes de nocauteá-los, girando a cabeça de um lado para o outro.