Sem uma receita, cada mãe tenta agir da sua melhor forma

iG Minas Gerais |

Para driblar esse sentimento que é comum a todas as mães zelosas, e conviver de forma saudável com a culpa e as frustrações, a ginecologista e obstetra Inessa Beraldo diz que é preciso, antes de tudo, adotar uma postura de escuta e bom senso.

“Uma relação de proximidade com a equipe médica para o compartilhamento de informações durante o pré-natal é fundamental para esclarecer, ao máximo, as possíveis dúvidas, expondo as dificuldades que podem ser enfrentadas”, diz.

A administradora Camila conta que tenta dividir a pressão com o noivo. “Eles também recebem essa pressão junto com a gente. Tento ser feliz, cada dia mais, correndo atrás dos meus objetivos, curtindo muito o meu filho, porque tudo passa muito rápido. Procuro deixar um pouco de lado esses palpites e às vezes nem procuro saber o que as pessoas estão pensando sobre a nossa vida. Assim fica mais fácil ser feliz”, ensina a jovem mãe.

Já a nutricionista Paola tenta optar sempre pelo diálogo. “É meio que moda dizer que os avós deseducam os netos, e muitos deles incorporam isso como verdade. Mas não deve ser assim, e cada mãe, ao seu modo, deve mostrar aos avós que as coisas mudaram ou simplesmente que elas querem educar seus filhos de forma diferente. Diálogo e respeito são sempre as melhores opções”.

Sem uma receita para maternidade perfeita, a obstetra Inessa acredita que as “mães nunca erram, pois sempre tomam certas atitudes pensando em acertar ”. (LM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave