Minientrevista

Fernando Júnior - Presidente do Grupo Meet E DA abrasel-MG

iG Minas Gerais |

Para o setor de alimentação fora do lar, a Copa do Mundo foi boa ou poderia ter sido melhor? Temos uma Copa do Mundo que acontece no país do futebol e no Estado da gastronomia mais rica do país. Então, tivemos a oportunidade de mostrar o que a gente tem de bom. A gastronomia, como setor econômico, envolve desde o campo, a indústria, até o consumidor final. Não dá para pensar no Brasil sem comida mineira, não dá para pensar em Minas Gerais sem comida mineira. É realmente isso que fica na lembrança das pessoas.

Já dá para contabilizar quantos empregos foram gerados pelo setor na Copa? Por enquanto, é muito difícil dizer isso agora.

Depois da Copa, você acha que tem legado ou o setor pode sentir uma retração forte? Não, acho que vai voltar ao normal em Belo Horizonte. A gente sempre viveu de consumo local, a gente nunca teve um turismo muito forte, temos que sobreviver assim. (HL)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave