Brasil tem liderança jovem no Fórum Econômico Mundial

Leila Velez - Sócia-fundadora e presidente da rede Beleza Natural eleita jovem líder global 2014 pelo Fórum Econômico Mundial

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

“Na elite, você não encontra pessoas que são a representa-ção mais nítida do que é a população do Brasil”
Rodrigo Castro / Divulgacao
“Na elite, você não encontra pessoas que são a representa-ção mais nítida do que é a população do Brasil”

Eleita uma das “Young Global Leaders” 2014, em Davos, na Suíça, a empresária Leila Velez, 40, presidente da rede de institutos Beleza Natural – de tratamento de cabelos crespos e ondulados – fala o que é estar no clube dos 200 jovens líderes do mundo.

Como foi essa experiência de ter saído praticamente do nada para se tornar uma das mulheres mais reconhecidas no meio, tendo sido eleita uma das mais poderosas? Nossa, foi no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, em que eles escolhem a cada ano um grupo muito seleto de pessoas que consideram líderes para o futuro da humanidade. Ao todo, no mundo, tem em torno de 220 pessoas. O nome é “Young Global Leaders”, jovens líderes globais, e eles me elegeram, junto com pessoas de mais 65 países.

E isso foi uma surpresa para você? Eu fiquei super- grata, muito surpresa, porque para mim é uma honra poder representar não somente a nossa empresa, a Beleza Natural, mas acho que a mulher brasileira, a mulher que vem representando o Brasil de verdade. Eu sempre falo isso, porque é o que eu sinto mesmo. Você vê, no topo das organizações, na elite, normalmente você não encontra pessoas que são a representação mais nítida, mais clara, do que é a população do Brasil. Eu acho que a gente veio dessa realidade. Então, ser escolhida, para mim, é escolher esse Brasil, não somente a minha pessoa.

A escolha do seu nome também está ligado a um processo de desenvolvimento? Sim. A organização promove vários cursos de especialização, de desenvolvimento em liderança, empreendedorismo, estratégia, com parcerias no mundo inteiro, Harvard, Oxford, encontros. Em setembro, eu vou para a China, para um encontro com todos da rede. Isso eu acho que enaltece não somente o nome da empresa ou da minha pessoa, mas o Brasil como um todo está representado num fórum tão seleto.

E você já faz parte desde quando? Desde o começo deste ano, em março.

A permanência é até quando? São seis anos de desenvolvimento, em que eles vão promover uma série de oportunidades. Depois disso, vira uma “alumni”, como se fosse ainda parte da organização, mas não ativo.

O que você acha que fez você ser uma das escolhidas? Acho que a trajetória de sucesso da empresa, ter tido a inovação de apostar num nicho que era completamente esquecido pelas grandes organizações, não somente pelo cabelo crespo, mas pelo conceito voltado para a classe média popular. Acho que isso fez com que a gente tivesse um conceito como “todo inovador”, não somente um serviço ou um produto.

O atual momento do Brasil também contribui? O Brasil está num momento de muita visibilidade no mercado internacional. Estados Unidos e Europa estão saindo de uma crise muito severa, e a gente tem um mercado interno muito pujante, apesar dos problemas que temos. Acho que o Brasil é reconhecido como um país com grande potencial empreendedor, então acho que a gente é exemplo disso, de que é possível sim empreender a partir de uma série de dificuldades, num país em que a gente sabe que não é simples em relação à carga tributária, legislação que, às vezes, é muito difícil de sobrepujar, mas que ao mesmo tempo tem um potencial enorme, com tantas oportunidades.

A Zica Assis, sócia-fundadora e embaixadora do Beleza Natural, disse que chegam várias propostas de empresas querendo comprar o Beleza Natural. Qual é a oferta de maior valor que vocês já receberam pela empresa? Eu acho que mais que o valor, o que acontece é: quando uma empresa oferece uma oportunidade de compra, eles enxergam parte do negócio que tem um potencial grande porque a gente tem um mercado-alvo enorme, é inovador. Só que eu acredito que eles não conseguem enxergar o que realmente faz a diferença no Beleza Natural. A nossa principal vantagem competitiva é essa aproximação tão grande com nossa equipe, com nossas clientes, entendendo as necessidades, até antecipando expectativas. Esse é o grande segredo do negócio.

Vocês personalizaram a vontade de cada cliente, não é? É, e não só por meio do cabelo, mas por um conceito maior de autoestima mesmo, da forma como a pessoa é tratada nos institutos, o ambiente de que ela participa, da própria equipe que reforça esse conceito de crescimento, de que é possível, sim. A mulher que chega ao Beleza Natural é quase uma cética, ela já passou por tudo, já tentou tudo, já teve muitas decepções com o seu cabelo. Já viu o cabelo cair, já viu não ficar bacana, já comprou propagandas que ela acreditava que eram verdadeiras e depois não tiveram efeito nenhum. Então, a gente tem uma responsabilidade de fazer valer esse conceito de que, aqui, você vai encontrar a solução verdadeira.

Daqui para frente, quantos institutos Beleza Natural vocês pretendem ter? São 120 institutos nos próximos cinco anos, até 2018.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave